Preços recuam em novembro com menor inflação para o mês desde o Plano Real


Como esperava a maior parte dos analistas, a inflação no novembro foi negativa. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu 0,21%, informou na manhã desta sexta-feira, 7, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a menor taxa para o mês desde a criação do Plano Real, em 1994. Em outubro, o índice havia marcado alta de 0,45%.

O arrefecimento dos preços que resultou na segunda deflação de 2018 veio ainda abaixo das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam inflação negativa de 0,10%. A outra deflação marcada neste ano foi em agosto, quando o índice caiu 0,09%, informa o MSN.

Em 12 meses, a inflação até novembro acumulou alta de 4,05 %. No ano, o índice aponta alta de 3,59%. A expectativa do mercado financeiro, segundo o último relatório Focus, aponta para o IPCA uma elevação de 3,89% ao fim de 2018.

A mudança da bandeira tarifária de energia elétrica contribuiu para o movimento, dizem analistas, já que passou de bandeira vermelha dois, com custo mais elevado, para bandeira amarela em novembro. A agência do setor já determinou que não haverá tarifa extra em dezembro.

Antes da divulgação do índice, o Santander estimava deflação de 0,13% no dado mensal, o que corresponde a uma inflação de 4,13% na avaliação de 12 meses, “devido às quedas nos preços de energia elétrica e combustíveis, bem como às elevações mais suaves no grupo de alimentos”. Em nota, os economistas do banco avaliam “que o IPCA encerrará 2018 com alta de 4%, ou seja, confortavelmente abaixo da meta de inflação (de 4,5%)”, complementam.

Já os economistas do Bradesco esperavam recuo de 0,09% no IPCA, “em linha com os últimos indicadores de inflação”. O arrefecimento esperado dos preços, explicam em relatório, deverá reforçar o cenário mais equilibrado no balanço do riscos, o que poderá oferecer mais tempo para o Banco Central definir os próximos passos da política monetária.

O piso da meta de inflação do Banco Central é de 3%. Em 2017, o IPCA foi de 2,95%, obrigando o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, a se explicar em carta aberta ao então ministro da Fazenda Henrique Meirelles pelo descumprimento da meta.

07/12/2018