Pesquisa revela que 10 em cada 100 mil alagoanos com câncer de próstata perdem a vida

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que entre 2014 a 2018, de cada 100 mil alagoanos diagnosticados com o câncer de próstata, 10.55 evoluíram para óbito. Os números são os mais recentes já divulgados e representam um alerta para o diagnóstico precoce, no mês em que o mundo promove o Novembro Azul, dedicado à conscientização sobre a neoplasia maligna que afeta a glândula masculina responsável pela produção do sêmen.

Isso porque, estudos comprovam que algumas atitudes adotadas ao longo da vida podem evitar a doença e o diagnóstico precoce é responsável por reduzir a taxa de mortalidade. Por esta razão, ter uma alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física regularmente, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, são as recomendações das autoridades de saúde para não desenvolver o câncer de próstata.

Além destas medidas, é necessário que, a partir dos 50 anos e, com o relato de sintomas, os homens procurem assistência médica, no Sistema Único de Saúde (SUS), para realizar os exames que podem diagnosticar precocemente o problema. Entretanto, o exame pode ser realizado antes de completar cinco décadas de vida, no caso daqueles que o pai ou irmãos tenham apresentado neoplasia maligna da próstata antes dos 60 anos.

“Entre os principais sintomas do câncer de próstata, estão a dificuldade e diminuição do jato da urina, demora em começar e terminar de urinar, presença de sangue e aumento desproporcional das idas ao banheiro, seja durante a noite ou dia. Situações que podem ser observadas facilmente pelo homem e ligam o sinal de alerta”, enfatiza o médico Marcos Martins, coordenador do Programa de Saúde do Homem da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

E além do conhecido toque retal, Marcos Martins esclarece que o câncer de próstata também pode ser diagnosticado por meio de um exame de sangue, que mede a quantidade de proteína produzida pela glândula masculina, chamado de PSA [Antígeno Prostático Específico]. Outra maneira de detectar a doença, é a ultrassom, que avalia o tamanho, forma e textura da próstata.

“Apesar de existirem os três exames para detecção do câncer de próstata, o médico que atender o paciente irá orientá-lo sobre o mais recomendado para o caso relatado. Ressaltando que no SUS, o usuário deve procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência para realizar a consulta”, orienta o coordenador do Programa de Saúde do Homem da Sesau.

Novembro Azul – O Novembro Azul ocorre desde 2003 e foi criado na Austrália, durante as ações realizadas em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, que ocorre em 17 de novembro. No Brasil, a iniciativa foi implementada com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque retal.

“Mas, temos que alertar os homens que existem outros fatores que têm provocado mortes prematuras. Além de não dirigir após ingerir bebida alcoólica, é necessário ter cuidado com a hipertensão arterial e o colesterol, que podem provocar o derrame, infarto e a impotência sexual, bem como, se cuidar para prevenir a diabetes, evitar o tabagismo e praticar o sexo seguro para não contrair as IST [Infecções Sexualmente Transmissíveis]”, ressalta o médico Marcos Martins.




Botão Voltar ao topo