Jó Pereira repudia divulgação de “fake news” e cobra punição para autores de difamações

“As mulheres são as principais vítimas de Fake News na internet. Também as principais vítimas de xingamentos, de ameaças e de conteúdos violentos nessa seara”, desabafou a deputada Jó Pereira (MDB) durante a sessão ordinária desta terça-feira, 27, indignada com um vídeo anônimo divulgado nas redes sociais, tratando de sua vida pessoal e de seus familiares.

“Entre outras gravíssimas mentiras, resgataram de forma covarde e inescrupulosa, a maior dor que uma mãe pode sentir: a perda de um filho, a interrupção de uma gestação”, disse a parlamentar, referindo-se a um aborto espontâneo que sofreu em sua primeira gravidez. “Trago a público o que era para ser uma dor privada, com a qual conviverei por todos os dias da minha vida: a perda de dois bebês, ainda no útero, em um aborto espontâneo. A perda de dois bebês que seriam meus primogênitos. Quem é mãe, quem é pai, sabe do que estou falando”.

Jó Pereira informou que já pediu aos órgãos competentes que façam a apuração da denúncia, a fim de punir os responsáveis e coibir, nesse período eleitoral, “o jogo sujo e antidemocrático de espalhar mentiras como se verdades fossem”. A deputada disse ainda que vem a público para inspirar outras mulheres a não se calarem diante de quaisquer violência ou injustiça das quais forem vítimas. “Muitas vezes a mulher é atacada para se atingir o homem. Somos arrancadas da nossa condição de mulher e de mãe, para servir a um projeto de poder daqueles que não têm a coragem para o enfrentamento democrático e propositivo”, falou.

Em aparte, o deputado Antonio Albuquerque solidarizou-se com o pronunciamento de Jó Pereira, destacando que política não pode ser levada para o campo pessoal e que as Fake News precisam ser combatidas. O deputado Davi Maia aproveitou o aparte para pedir à Justiça Eleitoral e à Polícia Civil que apurem o crime. O deputado Galba Novaes também se solidarizou com a parlamentar, lamentando o ocorrido e ressaltando que a disputa do pleito não deva cair a um nível tão baixo. A deputada Ângela Garrote falou que também foi vítima de falsas notícias e se solidarizou com a companheira de Parlamento.




Botão Voltar ao topo