Deixa de ser obrigatório o uso de simuladores para tirar habilitação


O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) decidiu nesta 5ª feira (13) que a utilização de simuladores de direção nos centros de formação de motoristas não será mais obrigatória. A partir de agora, o uso do equipamento passa a ser opcional.

A mudança, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, entrará em vigor em 90 dias. “Compra 1 jogo pro seu filho em casa e resolve esse problema aí”, disse o presidente. Já na avaliação de Freitas (Infraestrutura), a retirada dos simuladores vai reduzir a burocracia e baixar, em até 15%, o custo para tirar a CNH.

“O simulador não tem eficácia comprovada. Nos países ao redor do mundo não é obrigatório, mesmo em países com excelentes níveis de segurança no trânsito e que produzem o equipamento”, disse o ministro.

Com fim da obrigatoriedade, a quantidade de horas-aula que o novo motorista tem que cumprir antes de retirar a carteira cairá de 25 para 20 horas. Segundo o secretário-executivo do Contran, Jerry Dias, o aluno será obrigado a fazer, pelo menos, 15 horas de aulas práticas no veículo. As outras 5 horas podem ser feitas no simulador.

“São 15 horas obrigatórias no veículo. Ele pode fazer 20 horas no veículo ou, no mínimo, 15 horas no veículo, complementando com 5 horas no simulador”, disse.

A expectativa é que a mudança diminua a burocracia e a judicialização no setor de transportes. O uso do simulador é, segundo o ministro, o principal motivo de ações em relação à formação de novos motoristas.

Placa Mercosul
O Conselho está finalizando ajustes na implantação da placa Mercosul. De acordo com Jerry Dias, a obrigatoriedade do uso será adiada para o fim do ano. O prazo inicial era 30 de junho.

O objetivo, segundo o secretário, é retirar algumas obrigatoriedades que aumentavam o custo do emplacamento de veículos, o que deixará a nova placa com o preço similar à atual.

Não será obrigatório a atualização da placa. Os novos carros sairão da fábrica com o novo formato.