COMPROMISSO! JHC faz balanço e pede apoio em sessão solene que marcou retorno da Câmara de Vereadores

O pronunciamento acabou provocando várias manifestações de compromisso com o desenvolvimento da cidade e seus problemas sociais

A sessão solene que marcou o retorno das atividades parlamentares na Câmara de Vereadores, foi marcada pelo discurso de prestação de contas do prefeito João Henrique Caldas (PSB). Ele fez um rápido balanço de suas atividades e em 50 dias de trabalho. Segundo o prefeito o maior desafio é o ajuste de contas pois herdou uma cidade com mais de 300 milhões em dívidas, com arrecadação menor que os gastos gerados. JHC pediu apoio aos vereadores para transformar a realidade da capital e anunciou que fará uma reforma administrativa e fiscal.

“Gastávamos mais do que arrecadávamos.  Preciso que a casa do povo esteja apoiando os projetos do povo. Estou feliz em participar desse momento histórico, nesse novo momento da Câmara”, destacou JHC.

Segundo o prefeito os problemas financeiros encontrados não lhe impediram de nos primeiros dias de trabalho avançar em algumas questões importantes para a população. Ele lembrou a redução da passagem em 30 centavos, mutirão no Mercado da Produção, ações de contenção em algumas encostas, qualificação de ambulantes, início das obras da ciclovia da Fernandes Lima, retirada do município do Cauc e iniciativas para a desburocratização da máquina pública.

Ao se dirigir aos vereadores se colocou à disposição para ser cobrado porque foi parlamentar por dez anos e sempre atuou dessa maneira. Porém, alertou para a importância de que a atuação seja reflexo de demandas reais colhidas nas comunidades, porque deste modo as ações do Executivo poderão ocorrer de forma planejada e sistemática nas áreas onde existem mais carências.

O presidente da Câmara, Galba Netto (MDB) confirmou a necessidade da mesa atuar e consonância com os projetos e necessidades administrativas do município, uma vez que tem conhecimento dos desafios e dificuldades orçamentárias. Para ele, o mais importante é que haja uma compreensão da casa que muito mais significativo do que os desejos e sentimentos pessoais, é fundamental compreender que os palanques já estão desarmados.

“Estamos iniciando uma legislatura ainda mais desafiadora: além de estarmos em meio a uma pandemia que ameaça nossas vidas e famílias, temos bairros afundando e precisamos lidar com os demais problemas de uma capital que tem uma grande desigualdade social. Nesta casa não temos o direito de colocar nossos planos pessoais acima dessas questões”, enfatizou Galba.

Apoio

A mensagem esteve presente na fala de dezenas de vereadores, inclusive de oposição que compreendem o momento delicado da cidade e suas dificuldades. Foi o caso do vereador Eduardo Canuto (Podemos), que fez questão de destacar a importância de atuar ao lado da atual gestão considerando a necessidade de colaborar com o desenvolvimento da cidade.

Do mesmo modo o vereador Dr. Valmir Gomes (PT) ao destacar o “apartheid social” que divide a capital em Índices de Desenvolvimento Humano (Idh), de um lado da orla marítima iguais aos países mais pobres do mundo, e poucos metros depois, na área nobre, comparados aos dos mais desenvolvidos. Ele avaliou como positivo o fato do prefeito ter agilizado ações em algumas secretarias e também em comunidades da capital. Em sua avaliação o Plano Diretor da cidade precisa ser debatido com responsabilidade por todos.

Quem também destacou o papel propositivo e fiscalizador do mandato que exercerá foi o vereador Leonardo Dias (PSD). Ele  disse  que marchará ao lado do prefeito, principalmente, quando as pautas envolverem a desburocratização e a geração de emprego. Ele também é propositor de uma comissão para discutir e acompanhar o grave problema do afundamento dos bairros da capital.

Essa preocupação também foi apontada pela deputada federal Thereza Nelma (PSDB), uma das convidadas à solenidade. Segundo revelou tem sido cobrada por moradores sobre a solução para as áreas atingidas e o desfecho da questão da moradia de quem teve que deixar os bairros. Conforme acrescentou há necessidade de uma replanejamento da cidade.

O vice-prefeito Ronaldo Lessa (PDT), outro convidado da sessão solene, lembro a importância da atuação parlamentar nesta e outras questões. Falando em tom firme lembrou que o Governo Federal foi omisso ao deixar por décadas a mineração avançar sob a cidade sem fazer nada para evitar essa tragédia social e urbana.

Ex-vereador e atual vice-presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Galba Novaes (MDB), não escondeu a emoção em estar de volta a casa que homenageia o seu pai Galba Novaes de Castro que dá nome ao plenário, ao mesmo tempo em que agora acompanha o filho Galba Netto à frente da presidência do poder, cargo que também ocupou no passado.

Ele lembrou que a casa em sua época aprovou a jornada integral de ensino e sugeriu que o prefeito JHC faça esse investimento para garantir desenvolvimento futuro. Para ajudar o município confirmou que vai destinar uma emenda pela revitalização da Praça da Osman Loureiro, no Clima Bom. “Irei este ano colocar uma emenda dentro dos R$ 3 milhões que temos direito para investimento para colaborar com a gestão da prefeitura”, prometeu Galba.

Disposição

Entre os novatos alguns já demonstraram disposição para o trabalho na área social, como Brivaldo Marques (PSC), Teca Nelma (PSDB), Olívia Tenório (MDB), Pastor Oliveira Lima (Republicanos) e Gaby Ronalsa (PSDB) que já antecipou que protocolou 105 indicações para intervenções da prefeitura em Maceió.

O vereador Marcelo Palmeira (PSC), que integra a Mesa Diretora ocupando o cargo de 1° secretário e é ex-vice prefeito de Maceió, disse que toda a experiência acumulada em sua vida política estará colocada em favor da cidade. Em seu breve pronunciamento anunciou que seu partido e os integrantes estarão colaborando para o seu desenvolvimento por entender que o momento necessita de união.

A mesma visão foi compartilhada pelo 3° secretário João Catunda que acredita que juntos o atual grupo de vereadores pode contribuir de forma positiva para a melhoria de Maceió.

Já o 1° vice-presidente vereador Luciano Marinho (MDB) fez questão de lembrar que muitos dos problemas que precisam ser enfrentados estão na parte alta da cidade onde crianças dos bairros próximos a Rio Largo, estão se matriculando no município vizinho, por falta de vagas em escolas de Maceió.

JORNAL REDE REPÓRTER – ERA GASPAR! Carnaval tem redução histórica no número de homicídios em Alagoas

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!