Cabo Bebeto lamenta assassinato de policial militar alagoano

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 24, o deputado Cabo Bebeto (PTC) lamentou o assassinato do soldado da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), Jonhson Bulhões da Rosa Silva, em Porto de Galinhas/PE, ocorrido no último final de semana, e criticou a atuação da Polícia Militar de Pernambuco. O crime foi praticado por dois bandidos, ocupantes de uma moto, após abordarem o militar, que estava passeando com a família. Bulhões tentou reagir, porém foi alvejado com um tiro na cabeça. Ele chegou a ser hospitalizado, mas faleceu no dia seguinte.

“Lógico que o fato mais marcante foi a morte do policial militar, não há que se questionar. Mas volto a chamar a atenção para a postura da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Pernambuco, que está desmoralizada”, critica Bebeto. “Ouvi áudios e textos de policiais daquele Estado que estavam envergonhados pela postura de SSP/PE e do comando da PM”, contou o parlamentar, afirmando que, diferente da postura da cúpula da segurança de Pernambuco, a SSP de Alagoas fez de tudo para prender os assassinos. “Para completar, o vagabundo que pilotava a moto e tentou tomar a arma de Bulhões, já está solto. A audiência de custódia já o colocou em liberdade”, criticou o Cabo Bebeto.

Em aparte, a deputada Cibele Moura comentou o caso do policial Bulhões e disse que o acontecido provoca “indignação”, ao ver um pai de família perder a vida de forma tão violenta.

PL 370
O parlamentar pediu celeridade às comissões da Casa na apreciação do projeto de lei nº 370/2020, de sua autoria e do deputado Francisco Tenório (PMN), que busca amenizar o sofrimento e dar suporte à família dos militares mortos. “Atualmente, é pago o valor de R$20 mil de indenização aos familiares de militares mortos, porém o valor deveria ser atualizado anualmente, mas o Estado não o faz. A família merece receber uma indenização justa”, afirmou Cabo Bebeto.

Ação de advogado
Durante o seu pronunciamento, o deputado Cabo Bebeto também destacou a ação do advogado e empresário João Neto, que é policial militar reformado da Bahia e que, no último final de semana, matou uma pessoa e feriu outra que tentava assassinar um funcionário em seu estabelecimento comercial. “É por isso que a gente defende que as pessoas de bem não só têm o direito, mas devem estar armadas para defender a sua vida, a de outras pessoas e seu patrimônio”, declarou o parlamentar, aventando ainda a possibilidade de homenagear o comerciante com uma medalha oferecida pela Casa.

Eleições
As possíveis práticas de crimes eleitorais durante a campanha para a Prefeitura de Maceió também foram abordadas por Bebeto. Ele disse estar muito preocupado com os rumos que a campanha vem tomando. Citou como exemplo a divulgação de um vídeo, onde aparecem três homens se dizendo traficantes. “Estive 18 anos na Polícia e, se tem uma coisa que aqueles três não são, é traficantes. Desde a primeira vez que assisti ao vídeo, disse que não são traficantes, porque quando o vagabundo quer se impor numa região, ele grava na região dele, para mostrar que lá ele manda. Não vai pro meio do mato gravar vídeo. E agora eu questiono: Sociedade alagoana, você acha que o tráfico vai apoiar um candidato que tem de ao seu lado o delegado Fábio Costa e o deputado Cabo Bebeto? Esse video é mais uma fake news”, afirmou o deputado.




Botão Voltar ao topo