AUXÍLIO EMERGENCIAL: programa já pagou R$ 250 bilhões a 68 milhões de brasileiros

O Auxílio Emergencial já ultrapassou a marca de R$ 250 bilhões pagos a 68 milhões de pessoas, alcançando direta ou indiretamente mais da metade da população brasileira. Os pagamentos começaram em abril, quando foi intensificado o distanciamento social provocado pela Covid-19, e ocorrerão até 31 de dezembro. Ao término do programa, serão mais de R$ 320 bilhões investidos pelo Governo Federal.

“Proposto pelo Presidente Jair Bolsonaro, com o apoio imprescindível do Congresso Nacional, construiu-se a maior rede de proteção social que o Brasil e a América já conheceram. Chegamos a 68 milhões de pessoas, pagamos mais de R$ 250 bilhões. Até o fim do ano, mais R$ 70 bilhões estarão irrigando a economia e a condição de vida dessas famílias”, afirma o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Auxílio Emergencial

Criado em abril deste ano, o Auxílio Emergencial é um benefício financeiro destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, para ajudar no período de enfrentamento à crise financeira causada pelo novo coronavírus.

O programa previa o pagamento de três parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200, no caso de mães provedoras de família. Com o agravamento da situação, por conta do distanciamento social, o Governo Federal prorrogou o benefício por mais dois meses, totalizando cinco depósitos, também de R$ 600 ou R$ 1.200. Em setembro, o Governo criou a extensão do Auxílio Emergencial, tratando-se de parcelas de R$ 300 ou R$ 600 que serão pagas até 31 de dezembro. Com a iniciativa, os brasileiros passaram a ter o direito a até nove pagamentos mensais (no caso daqueles que começaram a receber em abril e se mantiveram elegíveis ao benefício.

“Combatemos a pobreza, demos acesso ao alimento, ao medicamento, ao abrigo. Muitas pessoas também conseguiram comprar equipamentos, utensílios para construir uma nova possibilidade de manter as suas famílias quando o auxílio terminasse”, completa o ministro da Cidadania.

Extensão do Auxílio Emergencial: Novos Critérios

Vale lembrar que nem todos os brasileiros que tiveram acesso às cinco parcelas do Auxílio Emergencial receberão as quatro parcelas da extensão do benefício.

Foram definidos novos critérios e regras. Pessoas que eram elegíveis à ajuda e que passaram, por exemplo, a ter vínculo empregatício após o início do recebimento do benefício, não terão direito aos novos pagamentos.

Para quem é beneficiário do Bolsa Família, se o valor recebido pelo programa for igual ou maior que R$ 300 ou R$ 600, no caso da mãe provedora da família, o beneficiário receberá apenas o valor do Bolsa Família. O valor total recebido depende da renda e da composição familiar.




Botão Voltar ao topo