ALAGOAS: vendas no comércio cresceram 9,3% em maio, diz IBGE

O comércio varejista em Alagoas registrou crescimento de 9,3% no volume de vendas em maio, na comparação com o mês anterior. A alta não foi suficiente, contudo, para recuperar as perdas de março e abril, geradas pelos efeitos do isolamento social adotado para reduzir o impacto da pandemia de Covid-19. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com maio de 2019, porém, o volume de vendas teve uma queda de 19,4%. No acumulado do ano, o setor recuou 10,1% e, levando em consideração os últimos 12 meses, a redução foi de 5,3%.

Os números para o Brasil apresentaram um crescimento nas vendas do varejo de 13,9% no mês de maio, com destaque para os setores de tecidos, vestuário e calçados e móveis e eletrodomésticos.

Analisando os resultados gerais da pesquisa, o gerente da PMC, Cristiano Santos, alertou que a recuperação em maio deve ser interpretada com cautela. “Foi um crescimento grande percentualmente, mas temos que ver que a base de comparação foi muito baixa. Se observamos apenas o indicador mensal, temos um cenário de crescimento, mas ao olhar para os outros indicadores, como a comparação com o mesmo mês do ano anterior, vemos que o cenário é de queda”.

Já o volume de vendas do comércio varejista ampliado, que integra também as atividades de veículos, motos, partes e peças e material de construção, cresceu 19,6% em maio, índice dentro da média nacional. Na comparação com maio de 2019, a queda foi de 14,9%. No acumulado do ano, por sua vez, o setor recuou 8,6% e, nos últimos 12 meses, a redução foi de 1%.

Vendas do varejo crescem nas 27 unidades da federação

As 27 unidades da federação tiveram crescimento no volume de vendas do comércio varejista na passagem de abril para maio. Entre os maiores destaques estão Rondônia (36,8%), Paraná (20,0%) e Goiás (19,4%). No comércio varejista ampliado, a variação também foi positiva nas 27 unidades da federação, com destaque para Rondônia (35,2%), Rio Grande do Sul (27,9%) e Espírito Santo (27,1%).




Botão Voltar ao topo
Fechar