Veja como economizar na conta de luz: ar-condicionado e chuveiro elétrico são vilões


Entram em vigor na próxima sexta-feira, dia 15, as novas tarifas aprovadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para evitar o susto na fatura da conta de luz, o ideal é reduzir o uso dos itens que mais consomem energia, como ar condicionado e chuveiro elétrico.

Segundo o educador financeiro da Dsop, Ricardo Natali, em uma família com quatro pessoas, o uso do chuveiro elétrico corresponde a cerca de 25% da conta de luz. Para se ter uma ideia, 10 minutos de banho por dia no chuveiro elétrico geram uma despesa mensal de cerca de R$ 52, segundo o simulador da Light. Se forem 30 minutos por dia, o gasto mensal sobe para cerca de R$ 157, revela o Extra.

— Aqui não tem segredo, a principal dica é mesmo usar menos o chuveiro. Se cada membro da família costuma tomar um banho de 15 minutos, podem tentar reduzir para sete — aconselha.

Além disso, o coordenador de Engenharia do Ibmec RJ, André Funcke, recomenda utilizar o chuveiro no modo verão, que consome menos energia.

— É preciso muita potência para esquentar a água, então o modo verão consome menos, porque puxa menos corrente elétrica — explica.

O ar condicionado também tem uma participação importante na conta de luz. Deixar o aparelho ligado oito horas por dia representa um gasto mensal de quase R$ 180, de acordo com simulação feita no site da Light. Se houver uma redução de apenas uma hora no uso, a despesa já cai para cerca de R$ 157, ou seja, R$ 23 a menos.

Além disso, Funcke explica que a economia de energia com o ar condicionado também está muito ligada ao comportamento da família:

— É importante manter as portas e janelas sempre fechadas e, caso bata sol, é preciso colocar cortinas para evitar que o ambiente esquente. O mesmo pensamento vale para a geladeira: quando a porta fica muito tempo aberta, o motor funcionará mais e gastará mais energia.

Outra dica é dar preferência, na hora da compra, aos equipamentos com o Selo Procel de eficiência energética. Para o especialista, ainda que aqueles com nota A sejam, em geral, mais caros, essa diferença de preço é compensada na conta de luz.

— São investimentos que se pagam. Já vi situações em que o valor economizado na conta de luz, em função do aparelho mais eficiente, pagava a parcela da compra.

Se possível, deixe o ar condicionado ligado por menos tempo e dê preferência ao ventilador
Se possível, deixe o ar condicionado ligado por menos tempo e dê preferência ao ventilador

Lâmpadas de LED geram economia de até 85%

Segundo a Enel Rio, a substituição de lâmpadas incandescentes pelas de LED pode gerar uma redução de 75% a 85% no consumo de energia no circuito de iluminação da casa.

Em relação às lâmpadas fluorescentes, a economia é de cerca de 40%, de acordo com Funcke. Para o engenheiro, adquirir o hábito de apagar as luzes ao sair de um ambiente também faz diferença no fim do mês.

— Se a família desenvolver o hábito de fazer isso diariamente, em todos os cômodos da casa, essas coisas vão se somando e acaba sendo uma diferença significativa.

Família unida

Ricardo Natali afirma que famílias com filhos devem envolver as crianças e adolescentes na busca pela economia de energia. Uma alternativa eficaz, segundo o educador financeiro, é estabelecer metas para que os filhos se mantenham motivados:

— Quem está pagando sente o aumento no bolso, mas os filhos podem não ter essa noção de que é preciso economizar. Uma solução é mostrar que se eles tomarem banho mais rápido, por exemplo, pode sobrar dinheiro para fazer outras coisas. É interessante estabelecer metas de economia para que no fim do mês seja possível comer fora, por exemplo.

Lâmpadas de LED e fluorescentes são opções com menor gasto de energia

14/03/2019