Torcedor morre depois de briga entre torcidas

Torcedor morre depois de briga entre torcidas

Um torcedor morreu, na manhã deste domingo (18), depois de uma briga entre as torcidas do Coritiba e do Corinthians em Curitiba. A morte foi confirmada pelo delegado Clóvis Galvão, da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe).

Segundo Clóvis, a vítima era da torcida corintiana. “Estamos tentando prender autores”, afirmou o delegado, segundo o Go.

Ao menos outras seis pessoas ficaram feridas na confusão, segundo a Guarda Municipal. Elas foram levadas para o Hospital Evangélico de Curitiba, para o Hospital Universitário Cajuru e para o Hospital do Trabalhador.

É possível que haja ainda mais vítimas encaminhadas para hospitais particulares.

O confronto ocorreu por volta das 8h30, na região do Estádio Major Antônio Couto Pereira, no bairro Alto da Glória, onde Coritiba e Corinthians se enfrentam nesta manhã.

Ainda de acordo com a Guarda Municipal, a briga começou quando dois ônibus da torcida corinthiana passaram pelos arredores do estádio.

Mais confusão

Ainda nesta manhã, a Guarda Municipal e a PM registraram uma confusão entre torcedores dos dois times no terminal de ônibus do bairro Pinheirinho. Segundo a polícia, cerca de 30 pessoas se envolveram na briga, que foi controlada rapidamente.

Até a última atualização desta reportagem, ninguém havia sido preso.

18/06/2017

Wellington Santos

Wellington Santos milita no jornalismo desde 1994, quando iniciou a carreira como revisor do extinto O JORNAL. Daí formou-se na área pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), e teve passagens como repórter e editor em jornais como Gazeta de Alagoas (por duas vezes), A Notícia e Primeira Edição. Atualmente atua como repórter no Jornal Tribuna Independente e exerce ainda a função de assessor de Comunicação desde 2003 no Governo do Estado. Como repórter esportivo, foi correspondente e colaborou para o Portal nacional Lance! e rádios do eixo Sul/Sudeste, além de colaborar para o Canal Esporte Interativo. Como reconhecimento ao trabalho desenvolvido, foi premiado duas vezes como repórter esportivo no Prêmio Braskem de Jornalismo em 2013/2014, e em 2016 com a melhor matéria no Jornalismo Impresso na editoria Saúde. Em 2012, foi à final do Prêmio Nacional Abdias Nascimento, realizado no Rio de Janeiro, com reportagem sobre os 100 anos do Quebra de Xangô em Alagoas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *