TANQUE D’ARCA – Prefeito é acusado de comprar testes de Covid-19 em empresa de roupas

MP de Contas abriu processo fiscalizatório e pediu explicações ao gestor

O Ministério Público de Contas de Alagoas (MPC/AL), por meio da sua 3ª Procuradoria de Contas, instaurou Procedimento Ordinário (PO), para solicitar a Prefeitura de Tanque D’Arca, documentos e informações a cerca do contrato firmado com a empresa LICC’S Comércio e Serviços do Vestuário EIRELI-EPP, para a aquisição de kits de testes rápidos da Covid-19, no valor de R$74.650,00. O gestor municipal Wilmario Valença Silva Júnior tem cinco dias para responder ao órgão fiscalizador.

Dentre os indícios de irregularidade presentes na contratação está o fato da empresa contratada ter como atividade econômica principal o comércio varejista de vestuários e em seu objeto social, o que, a princípio, denota falta de especialização e de compatibilidade com o contrato de compra e venda de kits de testes rápidos para Covid-19.

Além disso, o MPC/AL destaca ainda a falta de transparência do site da Prefeitura de Tanque D’Arca. Conforme pesquisa realizada no dia 08/07/2020, não consta no portal nenhuma informação de contratos realizados pela municipalidade.

“A Prefeitura de Tanque D’Arca parece ignorar por completo o dever de transparência dos atos e contratos relacionados ao enfrentamento da pandemia do Covid-19, em afronta direta ao art. 4º, §2º, da Lei n. 13.979/2020, uma vez que não há o registro de qualquer contrato no respectivo portal de transparência específico da Covid-19 – não só o do contrato em questão, como de nenhum outro”, enfatizou o Procurador Rafael Alcântara.




Botão Voltar ao topo
Fechar