SETEMBRO AMARELO: cultivo de plantas em casa pode contribuir na preservação da saúde mental

A dedicação à saúde mental deve acontecer durante todo o ano, mas em setembro ganha atenção especial pelo mês amarelo em prevenção ao suicídio. O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) recomenda, para o alívio psicológico, o cultivo de plantas em casa, um cuidado diário próximo que cria uma rotina; essencial durante este período de pandemia e distanciamento social, em decorrência da Covid-19.

A professora de Psicologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Telma Low, aponta a necessidade de o indivíduo buscar modos pessoalmente confortáveis de encarar o cotidiano inesperado imposto neste momento. Reestabelecer laços com a natureza pode ajudar as pessoas a construir uma nova rotina de leveza e prazer.

“Vivemos um período de exceção, desafiador para todo mundo, sem a normalidade anterior a essa pandemia. Por isso é importante construir uma nova rotina, sem as necessidades que tínhamos, porque não é mais possível supri-las”, expõe a psicóloga.

É momento de aprender novas atividades, dedicar-se em aprendizados ou simplesmente buscar o que faça bem e traga alívio, é o que afirma Telma. “Para quem pode ficar em casa, é recomendado tomar um momento para si e descobrir coisas que podem dar prazer e trazer leveza ao cotidiano, a exemplo de cultivar plantas, mas também meditar, escutar música, rezar; todo mundo tem algo que te deixa mais tranquilo”.

Várias espécies presentes na flora alagoana podem ser criadas em ambiente doméstico, afirma Isabel Nepomuceno, gestora ambiental do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL). “Temos espécies originadas na Mata Atlântica e Caatinga que são muito utilizadas no paisagismo, em destaque o guaimbé e a coroa-de-frade”, afirma a agente da Gerência de Fauna, Flora e Unidades de Conservação (Gefuc).

Para criação em casa, recomenda-se o cultivo de espécies que exigem pouca água: o Guaimbé (Philodendronbipinnatifidum), coroa-de-frade (Melocactusbahiensis), mandacaru (Cereus jamacaru), broméliasa orquídea “rainha-do-sertão” (Cattleyalabiatae a Clusia (Clusiafluminensis)Apesar de dispensar a rega diária, importante destacar que cada uma destas plantas pede cuidados, vasos e iluminações diferentes.

Os vínculos de solidariedade também são essenciais nesse momento, manter contato com amigos e família, mas ao sentir angústia, insônia, estresse; não ignore, procure por ajuda.

É possível entrar em contato com a unidade mais próxima do Centro de Atenção Psicossocial, sendo 55 distribuídas pelo Governo do Estado, disponível em http://cidadao.saude.al.gov.br/unidades/caps/. Também está aberto o atendimento digital com psicólogos cadastrados na plataforma e-Psi do Conselho Federal de Psicologia; acesse em https://e-psi.cfp.org.br/.

As espécies mencionadas podem ser encontradas facilmente na flora alagoana, mas não devem ser retiradas do ambiente natural sem a devida permissão legal. A atividade configura infração ambiental. As plantas devem ser adquiridas de produtores comerciais legalizados.

 

IMA




Botão Voltar ao topo