Sergio Camargo assume perseguição a religiões de matriz africana: ‘macumbeiro não vai ter um centavo’

Durante uma reunião de trabalho na Fundação Cultural Palmares (FCP), o presidente do órgão de promoção à cultura negra disparou ofensas, acusações e ameaçou perseguir militantes do movimento negro e líderes de religiões de matriz africana. “Não vai ter nada para terreiro enquanto eu estiver aqui dentro, zero, nada. Macumbeiro não vai ter um centavo”, disse Sérgio Camargo.

A iyalorixá Jaciara Ribeira, ativista contra a intolerância religiosa, ficou indignada com a declaração. “Em pleno século 21, vivemos muitas perdas de direitos. O governo não mede esforços para demonstrar o ódio, a intolerância, o racismo. Nos trata de uma forma brutal”, afirma.

“Ouvir um áudio como esse de um homem que tem o papel de trazer políticas públicas e dar visibilidade aos nosso direitos é horrível. São vários crimes ao mesmo tempo. Um homem chamar uma mãe de santo de macumbeira é triste. Ele ofende todas as mulheres negras de candomblé”, acrescenta.

Mãe Jaciara levanta a questão sobre a importância da valorização da Fundação Cultural Palmares e defende a saída de Sérgio Camargo da presidência. “Precisamos dar uma resposta. O povo negro não pode se calar. Xingar a gente e dizer que não vai ter nada? Ele tem que sair desse espaço. Parece até que é planejado, colocam pessoas assim nesses cargos para desmerecer os nossos direitos. É o racismo e a violência contra a mulher que estão governando o país”, considera Jaciara, que é filha de mãe Gilda, que morreu em 2000 por problemas cardíacos agravados pelo trauma de um ataque por perseguição religiosa. A morte da mãe originou a lei que estabeleceu o dia 21 de janeiro como o Dia Nacional da Intolerância Religiosa.

A reunião na Fundação Cultural Palmares em que Sérgio Camargo fez as declarações aconteceu no dia 30 de maio. O encontro foi convocado para tratar sobre o sumiço de um telefone celular corporativo. O aparelho teria desaparecido de dentro de uma gaveta durante o período em que Camargo ficou afastado da presidência por decisão judicial.

Com informações de Yahoo Notícias




Botão Voltar ao topo