Renan contrata empresa para armazenar segredos do Senado

Edital para seleção de companhia especializada em backups exige que vencedora da licitação mantenha sigilo de todas as informações a que tiver acesso

O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) durante sessão que decide pelo afastamento de Dilma Rousseff – 11/05/2016 (Ueslei Marcelino/VEJA/VEJA)

De acordo com a coluna RADAR DA VEJA, do jornalista MAURÍCIO LIMA, Renan Calheiros gastará até R$ 306 mil para contratar uma empresa especializada em elaborar backups. Caberá a ela copiar “dados” do Senado, diz o edital da licitação. O documento do pregão não informa que de dados são esses, talvez por prudência.

Um trecho da minuta do contrato confirma que não faltam segredos nos anais da Casa, ao exigir que a empresa vencedora da concorrência não abra o bico sobre as informações a que tiver acesso.

“A contratada deverá manter sigilo, sob pena de responsabilidade civil, penal e administrativa, sobre todo e qualquer assunto de interesse do Senado ou de terceiros de que tomar conhecimento em razão da execução do objeto, respeitando todos os critérios estabelecidos, aplicáveis aos dados, informações, regras de negócios, documentos, procedimentos operacionais, entre outros[…]”.

Numa Casa onde os servidores são acusados de tentarem obstruir as investigações da Operação Lava Jato, guardar bem segredos é questão de sobrevivência.

VEJA.COM

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *