Reformas e construções de quadras e ginásios ampliam participação de alunos no Jeal


Em sua edição 2019, os Jogos Estudantis de Alagoas (Jeal) apresenta números impressionantes: são mais de cinco mil alunos espalhados em 528 equipes que disputam as etapas regionais de quatro modalidades – voleibol, basquete, futsal e handebol. Um quantitativo que deve aumentar quando começarem as disputas das modalidades individuais, a exemplo da natação, atletismo e judô.

A 7ª Gerência Regional de Educação (Gere) – que abrange os municípios de União dos Palmares, Branquinha, Murici, Colônia de Leopoldina, São José da Laje, Ibateguara e Santana do Mundaú –  deu uma contribuição decisiva para este quantitativo, sendo a maior regional do interior em número de participantes nesta primeira fase regional dos jogos, com 558 atletas e 62 equipes.  E um dos pontos cruciais para este desempenho – ao lado do trabalho da coordenação, professores de educação física e escolas – foi a promoção de reformas e a construção de espaços físicos adequados para a prática esportiva.

Segundo Lucimar Ferreira, coordenador regional do Jeal, o aumento da participação das equipes nos jogos acompanha a evolução das reformas e construções. Ele informa que, há quatro anos, a quantidade de equipes que participavam do Jeal não chegava a 15. Em 2016, a participação foi de 60 atletas. Em 2017, este número pulou para 450 atletas. Na edição passada, foram registrados 785 atletas no total geral e, este ano, somente na primeira fase das coletivas, já atingiram 558 atletas.

Neste período, além da recuperação geral do complexo esportivo governador Manoel Gomes de Barros, que inclui ginásio, quadra e piscina, foram reformadas as quadras das escolas estaduais Juvenal Lopes (Branquinha), Monsenhor Clovis (União dos Palmares), Padre Teófanes São José da Laje) e o Ginásio Poliesportivo Leopoldinense, em Colônia Leopoldina (que é administrado pelo Município). Também foram agraciados os ginásios das escolas Manoel de Matos, em Santana do Mundaú e Professor Loureiro, de Murici – este último recebendo, também, um campo de futebol society.

Além disso, foram construídas as quadras das escolas estaduais Paulo de Castro Sarmento, Carlos Gomes e Jorge de Lima – todas em União dos Palmares – e o ginásio da Escola Estadual Benedita Rufino Chagas (Murici). A Escola Carlos Gomes ganhou ainda uma miniquadra descoberta.

“A iniciativa do governo estadual em reformar e/ou construir novos ginásios, reformas e construção de quadras dentro das escolas fez com que o esporte local crescesse consideravelmente. Acredito que este crescimento seja contínuo ao longo dos anos. E a gente sabe muito bem que, quando o atleta participa dos esportes, ele tem uma nova visão de vida, uma visão social mais equilibrada, e esta motivação no esporte serve consideravelmente para o desempenho escolar”, avalia Lucimar.

Distribuição das equipes – De acordo com o coordenador regional do Jeal, a Gere tem representação em todas as modalidades coletivas da competição e, do total de equipes, a grande parte, assim como as demais gerências, está no futsal, com 15 times no infantil masculino, 23 no juvenil, e 3 no feminino juvenil. No handebol, são 11 equipes no total, enquanto o basquete tem duas equipes no juvenil masculino e, o voleibol, 2 equipes juvenis, masculino e feminino, ambas já classificadas para a etapa estadual.

Expectativa – Gestores, professores e alunos da Escola Carlos Gomes, uma das beneficiadas com a construção de quadras, concordam com os avanços conquistados na região do Vale do Mundaú para a prática desportiva.

“Os ginásios e a prática esportiva incentivam o aluno a gostar mais da escola. Para nós, foi um presente maravilhoso ter recebido um ginásio próprio e que atende todas as nossas necessidades, além de termos, ao lado da nossa escola, o Complexo Manoel Gomes de Barros, onde nossos alunos praticam a natação. É de grande valia atrelar o esporte à educação, com certeza”, afirma o gestor geral, Artur Ferreira.

O professor de handebol da instituição, Moab Júnior, tem a mesma opinião. “Nossa escola possui quadra coberta, vestiários, tudo de primeira linha, o que ajuda muito nas eletivas e nos esportes da escola, que é de ensino integral. Isso também faz o aluno a entender o que acontece no entorno da escola, na sociedade. Na quadra, eles passam a ter outro posicionamento para a vida”, pontua Moab Júnior.

Ansiosos e felizes, os estudantes da Carlos Gomes são unânimes quando o assunto é prática esportiva e realização pessoal.  “Desde pequena, meu sonho é ser jogadora de handebol ou professora de educação física e, quando jogo, me esforço muito. Amo esporte e o Jeal é uma oportunidade que temos para alcançar outros resultados e, quem sabe chegar, mais longe”, afirma Emelly Darla, que pratica handebol há sete anos e está em seu segundo Jeal. “A construção do ginásio foi algo que nos trouxe muitas oportunidades, a gente pratica vários esportes. Ter um ginásio coberto facilita muito nossos treinos, nos prepara melhor”, complementa Brenda Oliveira, com cinco anos de handebol.

Sua colega Kamires Vitória diz que a construção do ginásio foi a realização de um sonho da comunidade escolar. “A gente sempre gostou muito de esporte e a construção do ginásio foi algo muito bom, tanto para combater o sedentarismo entre os jovens como para fortalecer cada vez mais nossos times e representar bem a Carlos Gomes onde estivermos”, destaca.

Para Emerson José da Silva, os jogos são também uma oportunidade de homenagear o amigo e companheiro de equipe Jonathan Antônio, falecido recentemente. “Ele era o craque da nossa escola e jogamos por ele”, frisa Emerson, segurando a camisa do amigo.

Ascom – 20/05/2019