Programa de aprimoramento de pequenos negócios será expandido em Alagoas

Em 2004, grupos alagoanos de segmentos produtivos semelhantes e situados em uma mesma região territorial começavam a ganhar um reforço importante no desenvolvimento dos seus negócios com o Programa de Arranjos Produtivos Locais (PAPL). Agora, depois de quase quinze anos de atuação, o projeto do Governo do Estado será fortalecido e expandido graças à aprovação, no último dia 10, de R$ 2 milhões em recursos liberados pelo Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

Reformulado e com objetivos ampliados para além das atividades de capacitação e acompanhamento já realizadas pelo PAPL, o programa traz uma proposta atualizada para o aprimoramento de pequenos empreendedores do interior do Estado. Conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), em parceria com o Sebrae/AL, o projeto, agora intitulado Alagoas Maior, se prepara para entrar em um novo momento de ação junto às organizações coletivas.

Com público um pouco mais restrito e qualificado, as atividades de potencialização de vocações de negócios alagoanas terão inicialmente como foco três regiões territoriais: Sertão, Agreste e Serrana dos Quilombos. Após serem identificados como potenciais polos de fomento de pequenos empreendedores, os grupos localizados nestas áreas continuarão recebendo capacitações dirigidas e ainda poderão contar com duas novidades garantidas pelo programa, a entrega de equipamentos produtivos e apoio à prospecção e abertura de novos mercados.

Cenário de crescimento

Bem próximo de começar oficialmente suas operações no Estado, o programa Alagoas Maior abre caminhos para a consolidação de um contexto de crescimento da interiorização do desenvolvimento econômico. As novas diretrizes são apontadas pela assessora especial da Superintendência de Desenvolvimento Regional e Setorial da Sedetur, Giselle Mascarenhas.

“A ideia é que o Governo de Alagoas, por meio da Sedetur, funcione como uma espécie de aceleradora para estes grupos produtivos, possibilitando que eles alcancem mercados locais e nacionais. Quando trabalhamos de forma integrada, identificando as necessidades de cada setor individualmente, conseguimos traçar estratégias e definir o planejamento necessário para o funcionamento das atividades”, salienta a assessora especial.

Ascom – 20/05/2019

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *