Prefeitura de Maceió alerta população sobre descarte irregular de resíduos

Prática obstrui bocas de lobo, canais e galerias, impedindo o escoamento das águas pluviais

Vias inundadas atrapalham a vida da população. Foto: Secom.

Os alagamentos registrados nos últimos dias em vários pontos da cidade causam muitos transtornos, mas boa parte poderia ser evitada se a população deixasse de jogar lixo irregularmente em vias públicas, praças, canteiros e córregos.

Com a chegada da quadra chuvosa, a prática se torna um problema para a cidade e para o meio ambiente, pois os resíduos acabam indo parar nas bocas de lobo, canais e galerias por onde deveriam passar apenas as águas pluviais. Como consequência, os materiais impedem a passagem e geram os alagamentos.

Material de descarte irregular escoou pelo Riacho do Silva após chuvas. Foto: Secom

Além disso, podem ir parar nos nossos rios e praias, prejudicando a natureza. Só para exemplificar, os agentes de limpeza da Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes) retiraram da praia da Avenida, nas proximidades da foz do riacho Salgadinho, cerca de mil toneladas de lixo nos últimos dias.

Agentes recolheram cerca de mil toneladas de lixo. Foto: Secom

Ivens Peixoto, superintendente da Sudes, afirma que a prática negativa se volta contra a população quando se inicia o período de chuvas e pede cooperação. “Infelizmente ainda existe muita gente que mantém a prática. Como resultado, vemos alagamentos pela cidade e concentração de resíduos em nossas praias. A culpa é dos moradores que fazem o descarte em locais inapropriados”, afirma.

Ele lembra que a Sudes oferta diversos serviços para a coleta de resíduos e recicláveis, como os Ecopontos, Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) e Coleta Seletiva porta a porta em algumas regiões, mas ainda falta a adesão do cidadão. “Precisamos que a população caminhe lado a lado conosco para mantermos Maceió sempre limpa”, completou o Superintendente.

Atualmente, 180 pontos crônicos de descarte irregular estão mapeados pela Sudes. Neles, um total de 33 mil toneladas de resíduos já foram recolhidos apenas no primeiro trimestre deste ano. Dentre os materiais encontrados estão latas, garrafas pets, sacolas plásticas e móveis inservíveis, como sofás, colchões e até vasos sanitários.

Prefeitura de Maceió faz recolhimento de volumoso de forma gratuita. Foto: Secom Maceió
Prefeitura de Maceió faz recolhimento de volumoso de forma gratuita. Foto: Secom

Cuidados

Para colaborar com a limpeza das bocas de lobos, córregos e o bom funcionamento das galerias pluviais, a população deve evitar lançar qualquer tipo de resíduos nas vias públicas. Já os entulhos maiores e arbustos devem ser descartados nos ecopontos. Outra recomendação é que, no período chuvoso, o lixo doméstico seja colocado nas lixeiras suspensas, e nos locais sem este equipamento, deve ser colocado na rua apenas próximo ao horário de recolhimento.

Denúncia

O descarte de resíduos em vias públicas ou áreas verdes é uma irregularidade passível de multa, conforme prevê o Código Municipal de Limpeza Urbana. A legislação estabelece valores que vão de R$ 120 a R$ 30 mil, de acordo com a gravidade do caso. As multas são válidas para cidadãos e empresas flagrados.

Além de evitar o descarte irregular de lixo, a população também pode colaborar por meio de denúncias para punir infratores. Basta ligar para 0800 082 2600 ou enviar fotos e vídeos pelo Whatsapp 98802-4834.

Alexandre Vieira / Ascom Sudes

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!