‘PIX Cobrança’ pode ser o fim do boleto bancário

Nessa quinta-feira (29), o Banco Central (BC) anunciou mais novidades a respeito do PIX, sistema de pagamentos instantâneos que estará disponível em todo o Brasil a partir de novembro. Uma delas foi a oficialização da modalidade de cobrança integrada à plataforma, com potencial para substituir os boletos bancários.

Chamada “PIX Cobrança”, a ferramenta permitirá emitir um QR Code para a realização de pagamentos imediatos (no momento da emissão) e também para as cobranças com vencimento em datas posteriores. Segundo o BC, a modalidade atende aos lojistas, fornecedores, prestadores de serviços e demais empreendedores, que poderão utilizá-la tanto em lojas físicas quanto no comércio eletrônico.

Assim como acontece na geração dos boletos de pagamento, os usuários do recurso terão a possibilidade de incluir uma série de informações no documento eletrônico. Será possível adicionar, por exemplo, detalhes sobre juros e multa, em caso de pagamento atrasado, e até descontos. Na hora de pagar, o cliente só precisará fazer a leitura do código com o app do seu banco.

De acordo com a analista do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do BC Janaína Attie, o PIX Cobrança é “um produto muito demandado pelas instituições financeiras que ofertam conta e por diversos usuários recebedores”. O produto, uma alternativa aos atuais pagamentos por boletos e convênios de arrecadação, terá oferta facultativa pelas instituições aderentes ao PIX.

Interface personalizada

Outra novidade anunciada ontem foi a necessidade de adoção da interface de programação de aplicações (API) padronizada pela autarquia federal, por parte das empresas que pretendem oferecer o sistema de pagamentos instantâneos aos seus clientes.

Segundo o BC, a API PIX trará várias facilidades aos empreendedores, incluindo as ferramentas de criação e gerenciamento de cobranças, a verificação de liquidação, conciliação e suporte a processos de devolução.

Caso o empresário não queira utilizar o modelo oficial da API, precisará reconfigurar seus sistemas de gestão para interfaces diferentes, ao mudar de conta, podendo ficar “travado” em uma instituição, por causa dos custos da mudança.

Vale lembrar que o PIX começa a funcionar de maneira limitada para 5% dos usuários, no dia 3 de novembro. Já a partir do dia 16, o sistema estará disponível para todos.




Botão Voltar ao topo