Para Telmário, crise migratória venezuelana está afetando serviços básicos em Roraima

Em pronunciamento, nesta terça-feira (26), o senador Telmário Mota (Pros–RR) disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro, cumpriu agenda hoje no estado de Roraima para tratar da acolhida dos imigrantes venezuelanos e tomar conhecimento da situação em que eles se encontram na região de fronteira.

— Eu vi um vídeo no qual o presidente se encontra com os venezuelanos e ele [presidente] lamenta o sofrimento desse povo em função da ditadura hoje implantada naquele país e de sua crise econômica, social e política — afirmou.

Entretanto, ressaltou que os políticos presentes ao evento “não tiveram a dignidade” de dizer ao presidente que todo o infortúnio pelo qual está passando o povo venezuelano está sendo repassado ao povo roraimense. Segundo Telmário, esta recepção significa, na prática, importar um país para dentro de um estado. Ou seja, para dentro do município de Pacaraima, onde se encontra a maioria dos imigrantes.

— O Brasil já fez a sua parte. A acolhida dessas pessoas tem de ser dentro da Venezuela, não dentro do estado de Roraima. O estado não aguenta mais essa acolhida nesse formato. Se querem acolher, que interiorizem para todo o País; não joguem só no colo do povo roraimense. Está faltando saúde; está faltando emprego; está faltando segurança e está faltando qualidade de vida. Faltou dizer isso ao presidente da República — declarou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo