Paespe é finalista de concurso internacional sobre experiências educativas

Com 28 anos de trabalho ajudando jovens alagoanos a mudarem de vida por meio da educação, o Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe), institucionalizado pelo Centro de Tecnologia (Ctec) da Ufal, está entre os 11 finalistas do Concurso Latino-americano de Vídeo para Experiências de Aprendizagem Solidária: histórias que transformam.

A notícia foi comemorada pela equipe coordenadora do programa, e a expectativa para o resultado é grande. “Os 11 projetos finalistas serão avaliados no dia 10 de dezembro por um júri que reúne especialistas da Argentina, Brasil, México e Uruguai. A data do resultado final não foi divulgada”, conta Geiza Gomes, vice-coordenadora do programa.

O prêmio é promovido pelo Centro Latino-Americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS), por meio do Programa de Apoio a Instituições Educacionais Solidárias (AYSS) nas Artes. Geiza explica que o objetivo do concurso é reconhecer, destacar e divulgar o trabalho que as instituições realizam. “Programas de educação solidária têm se desenvolvido em toda a América Latina nos últimos anos, integrando a aprendizagem curricular dos alunos com atividades solidárias em benefício das comunidades em que vivem”, diz.  

Ela conta que haverá premiação e que o “reconhecimento financeiro será dado às experiências de solidariedade da mais alta qualidade”. De acordo com a vice-coordenadora, os prêmios concedidos serão de US$ 1000 (mil dólares) para o primeiro lugar; US$ 800 (oitocentos dólares) para o segundo; US$ 650 (seiscentos e cinquenta dólares) para o terceiro, além de três menções honrosas de US$ 550 (quinhentos e cinquenta dólares).

Geiza destaca que é de suma importância participar como finalista do concurso, pois, através desse reconhecimento, “o Paespe extrapola os muros da Universidade e mostra o seu trabalho a nível internacional”. E comemora: “Já fomos certificados como uma tecnologia social pela Fundação Banco do Brasil, ou seja, ganhamos projeção nacional e agora internacional, via CLAYSS”.

 Intervenção social como prática educativa

A vice-coordenadora do Paespe explica que o Centro Latino-Americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS) abriu o concurso para que instituições de ensino, de todos os níveis e modalidades, apresentassem vídeos que descrevessem experiências educativas solidárias lideradas por alunos, desenvolvidas em instituições e comunidades. 

“A nossa inscrição foi por meio de formulário acompanhado de um vídeo apresentando as atividades desenvolvidas pelo Paespe. O vídeo enviado ao concurso retrata a intervenção social do programa como prática educativa, onde os universitários integram a aprendizagem curricular com atividades solidárias em benefício dos extensionistas do programa, que são pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica”, conta Geisa.

Ela afirma que a principal característica do programa realizado na Ufal é acreditar na intervenção social como prática educativa. “Definimos a atividade de serviço solidário como aquela em que o aluno participa o tempo todo junto com o professor e com a comunidade. Na aprendizagem solidária, a solidariedade não é assistencial, mas sim uma maneira de construir conhecimento a partir do outro e com o outro. É um jogo de reciprocidade”. E salienta: “A comunidade atendida [extensionistas do Paespe] e o aluno [universitário] participam do processo de construção do conhecimento”.  

Ajudando a ampliar as possibilidades

O Programa de Apoio às Escolas Públicas do Estado foi criado em 1993, pelo professor do Ctec, Roberaldo Carvalho, e conta com a parceria da Pró-reitoria de Extensão (Proex). 

O programa realiza diversas atividades para estudantes das escolas públicas, nas séries da educação básica, buscando a melhoria do desempenho escolar e o ingresso em cursos superiores. São aulas, palestras, oficinas e visitas técnicas, permitindo que os jovens, a maioria deles em situação de vulnerabilidade, ampliem suas possibilidades. As ações também envolvem os familiares dos alunos. 

A seleção de novos participantes é feita anualmente. 

Para saber mais, acesse aqui

Confira os finalistas do Concurso Latino-americano de Vídeo para Experiências de Aprendizagem Solidária: histórias que transformam

Creche Antonia Joana Barsi Ferrari (São Paulo, Brasil). Experiencia: De Boa na Lagoa

Colegio Internacional Terranova A.C. (San Luis Potosí, México). Experiencia: Castillo de paz

Escuela N° 213 Cacique Martín Iquín (Tucumán, Argentina). Experiencia: Manos ancestrales

Escuela Provincial de Artes N° 3 Lola Mora (Jujuy, Argentina). Experiencia: Laboratorio Audiovisual

Escuela N° 4-167 Santiago Felipe Llaver (Mendoza, Argentina). Experiencia: Tus manos, mis manos, nuestras manos

Institución educativa Santo Domingo Savio – sede El Silencio (Tolima, Colombia). Experiencia: Inteligencia musical para el rescate de las tradiciones típicas de nuestra región

Universidad Federal de Alagoas (Alagoas, Brasil). Experiencia: Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (PAESPE)

Universidad Nacional de las Artes (Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina). Experiencia: De UNA. Taller de apreciación y experimentación con lenguajes artísticos

Universidad Nacional de Mar del Plata (Buenos Aires, Argentina). Experiencia: Creando puentes: hacia un ejercicio pleno del derecho a la educación superior

Universidad de las Americas (Valparaíso, Chile). Experiencia: Conéctate tú también puedes

Pontificia Universidad Javeriana de Cali (Valle del Cauca, Colombia). Experiencia: Programa Forja – Formación Javeriana para el cambio social y la paz

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo