OPERAÇÃO POLICIAL: Três pessoas são presas durante fiscalizações da PRF em Alagoas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF)  prendeu três pessoas, durante operações nas BRs 104, 316 e 101, no final de semana. Entre os casos estão, mandado de prisão em aberto, embriaguez ao volante e posse irregular de animais silvestres.

No sábado (24), os agentes realizavam uma fiscalização em frente a Unidade Operacional de Rio Largo, no km 77 da BR-104, quando um veículo I/BMW 320I 3B11, de cor preta, foi parado. O condutor e o passageiro apresentaram suas documentações e, após consultas no sistema, os policiais encontraram um mandado de prisão em desfavor do motorista. Ele afirmou não saber sobre a acusação de crime de estelionato em seu nome e alegou ser advogado.

O carro pertencia ao homem que ocupava o lugar de passageiro e estava com a documentação regularizada. Ante os acontecimentos, o motorista foi conduzido à Central de Flagrantes para a realização dos procedimentos cabíveis.

A segunda ocorrência aconteceu também no sábado, no km 26 da BR-226, no município de Canapi. A equipe de policiais da PRF se deparou com um veículo andando em zigue-zague na rodovia.

Foi dada a ordem de parada ao motorista e realizado o teste de alcoolemia, que constatou o resultado de 1,17mg/l, muito acima dos 0,05 mg/l que é a tolerância do equipamento. Diante dos fatos, o condutor foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Delmiro Gouveia.

Já no domingo (25), no km 159 da BR-101, no município de Campo Alegre, os PRFs avistaram uma motocicleta Honda/Cg 125 Titan KS, de cor vermelha, onde o condutor tentava cruzar a rodovia com uma gaiola e um alçapão para capturar aves, escondidos embaixo de uma camisa.

Dada a ordem de parada, o motociclista afirmou que a ave que carregava na gaiola era um pássaro popularmente conhecido como Papa-Capim (Sporophila caerulescens).

Ao ser questionado sobre a origem do animal, o condutor alegou não possuir nenhum documento. A ave silvestre não apresentava sinais de maus tratos, mas já estava em cativeiro há algum tempo. Quando perguntado sobre seus documentos e os do veículo, o homem informou que estavam em sua casa.

Os policiais retiveram a motocicleta e seguiram até a residência do motociclista. Lá eles encontraram outra ave silvestre, dessa vez um Canário (Sicalis flaveola), também sem documentos que comprovassem a origem.

O pássaro foi apreendido pela PRF, juntamente com o primeiro, e o condutor foi enquadrado no crime de transportar e manter animal silvestre em cativeiro.

Diante dos fatos, foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), após o homem se comprometer a comparecer em juízo.




Botão Voltar ao topo