OPERAÇÃO CURIPIRA: BPA apreende dez armas de fogo e 355 animais silvestres

Encerrou nesta segunda-feira (30), a Operação Curupira 10. Com o intuito de coibir a caça e o tráfico de animais silvestres na região da Zona da Mata alagoana, a ação, que iniciou na terça-feira (24) contou com a atuação de equipes do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto do Meio Ambiente (IMA).

No total, 10 armas de fogo foram apreendidas. Além disso, cinco canos de espera (armadilha com potencial de fogo) e 178 estojos (dos quais 29 encontravam-se deflagrados) também foram localizados pelos agentes.

Quanto a apreensões de animais silvestres, os números surpreendem ainda mais. Foram apreendidas 355 aves silvestres. Entre os exemplares, oito constam na lista de animais ameaçados de extinção. Além disso, foram apreendidos sete jabutis e um jacaré-do-papo-amarelo que eram mantidos em cativeiro.

Os autores foram devidamente apresentados à Polícia Civil, e responderão pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, caça e cativeiro ilegal de espécimes da fauna silvestre. Os animais apreendidos seguiram para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), onde receberão os devidos cuidados e serão, posteriormente, reintroduzidos à natureza.

Operação Curupira

O nome tem relação direta com a figura lendária do folclore brasileiro de um menino, conhecido por ter os pés virados para trás, que além de ser o protetor das florestas, castiga aqueles que tentam fazer mal à fauna e flora.




Botão Voltar ao topo