No Dia Nacional da Vacinação, Maceió comemora 60% de imunizados contra a Covid-19

Compromisso da Prefeitura e da equipe de vacinadores dinamiza fluxo de imunização

A Prefeitura de Maceió tem desenvolvido um trabalho intenso de educação em saúde, além de fortalecer o sistema de imunização contra o coronavírus, por meio do investimento em equipamentos, profissionalização e aquisição de vacinas para a população em toda a Rede Municipal de Saúde. Neste Dia Nacional da Vacinação, celebrado em 17 de outubro, Maceió contabiliza 60,11% da população vacinada com as duas doses ou a vacina de dose única contra a Covid-19. São 456.080 pessoas com o ciclo vacinal completo, além de 664.887 (87,64%) com pelo menos uma dose garantida.

Imunização contra a Covid-19 em Maceió. Foto: Ascom SMS

Desde o início da vacinação contra a Covid-19, Maceió trabalha para dispor da melhor logística de vacinação possível para distribuir os imunizantes à população.

Adevânia Alves é enfermeira no ponto de vacinação contra a Covid-19 instalado no Maceió Shopping e fala do esforço e compromisso da equipe para aumentar o número de maceioenses protegidos contra o vírus e colaborar para a retomada da normalidade.

“Temos consciência de que, quando um vírus se instala, se inicia uma guerra que só pode ser vencida com o surgimento da vacina. Historicamente, o Brasil já conseguiu erradicar muitas doenças a partir da vacinação em massa e temos certeza de que isso também vai acontecer, em breve, com a Covid-19. Por isso, trabalhamos com a máxima rapidez possível”, afirma a enfermeira.

Adevânia Alves, enfermeira do ponto de vacinação no Maceió Shopping. Foto: Ascom SMS

Pioneirismo e responsabilidade

Desde o início da pandemia, Maceió colocou em prática medidas – muitas delas pioneiras – para agilizar o fluxo de atendimento e a garantia de maior agilidade na vacinação. O esforço tem se revertido em bons resultados.

O Corujão da Vacina permite às pessoas que trabalham durante o dia se vacinar até as 21h em quatro pontos de vacinação; e, em parceria da Prefeitura com o Governo da Alemanha, Mercedes Benz e Cruz Vermelha, Maceió foi a primeira cidade da América Latina a receber o Ônibus da Vacina, unidade itinerante que levou 12 mil doses de vacinas à população em 30 pontos de Maceió.

Outros pontos de destaque, na vacinação contra a Covid-19, são: a implantação do cartão em braile para inclusão de pessoas com deficiência visual; a criação do portal vacina.maceio.al.gov.br, que elevou os indicadores municipais de transparência de dados sobre a Covid, conforme análise divulgada pela Open Knowledge Brasil (OKBR); o desenvolvimento da ferramenta Filômetro, que permite o monitoramento do fluxo de atendimento nos pontos de vacinação.

Estas são algumas das estratégias que levaram a Prefeitura de Maceió a repetidas lideranças do ranking das capitais com maior eficiência vacinal, segundo o portal LocalizaSUS, do Ministério da Saúde.

Rede de Frio

Em maio de 2021, o prefeito JHC investiu R$ 160 mil na aquisição de ultracongeladores para a Central Municipal de Rede de Frio destinados ao armazenamento das vacinas da Pfizer, que exigem temperaturas baixíssimas. Os equipamentos vieram de São Paulo e permitem o armazenamento dos imunizantes por até seis meses.

“Os ultracongeladores têm características técnicas específicas para poder armazenar as vacinas da Pfizer. Portanto, conseguimos completar todo o ciclo necessário para fazer o manuseio dessas doses. Maceió deu exemplo, se antecipou e saiu na frente”, informou o prefeito JHC sobre a entrega dos equipamentos.

Entrega de ultracongeladores para a Central Municipal de Rede de Frio. Foto: Ascom SMS

Vacina garante proteção individual e coletiva

Segundo o infectologista Renee Oliveira, a vacinação sempre foi imprescindível no combate a doenças e, só com ela, é possível diminuir consideravelmente o número de casos de Covid-19 e voltar à normalidade.

“A vacinação é um importante instrumento individual e coletivo de combate a doenças. Com a imunização plena da população, o vírus passa a encontrar muita dificuldade em se disseminar e, com isso, os casos tendem a diminuir. Quanto mais pessoas vacinadas, menor risco à saúde e menos pessoas com complicações moderadas e graves. Foi assim com inúmeras doenças no passado e já estamos caminhando para esse quadro favorável com a Covid-19”, destacou o médico.

Dr. Renee Oliveira, infectologista de Maceió. Foto: Ascom SMS

O especialista lembra que esta semana, a transmissibilidade do coronavírus no Brasil chegou a 0,60, o menor patamar de 2021, segundo estudos internacionais. Ele analisa que os dados apontam para o controle da pandemia, mas adverte que, para que isso ocorra, é necessário manter os cuidados preventivos e a imunização. 

“Nós estamos num momento de declínio sustentável, em que há a possibilidade real de controle da pandemia. Essa situação tem relação direta com a vacina. Então temos que continuar com os cuidados, mantendo o distanciamento, o uso de máscaras e, claro, completar o ciclo vacinal”, orienta o infectologista.

Atualização vacinal nas unidades de Maceió

Paralelamente à vacinação contra a Covid-19, que acontece em oito pontos fixos instalados na cidade e por agendamento para a segunda dose em unidades de saúde, Maceió segue atualizando a Caderneta de Vacinação de maceioenses em todas as unidades de saúde. Os profissionais trabalham diariamente para assegurar a oferta de imunizantes que compõem a Caderneta de Vacinação preconizada pelo Ministério da Saúde para públicos diversos.

Até o próximo dia 29, está em vigor a Campanha de Multivacinação de Crianças e Adolescentes. E, durante o ano inteiro, as unidades de saúde mantêm imunização para públicos diversos.

Vacinas como BCG, Hepatite A e B, Pneumocócica 10 valente, VIP , VRH, Meningocócica C, VOP, Febre amarela, Tríplice viral, DTP, Varicela e HPV estão sendo ofertadas das 7h às 17h. Para conter o desperdício, uma vez que, após a abertura do frasco, a vacina não pode ser reacondicionada, a BCG está disponível apenas nestas unidades de referência

Na última quarta-feira (13), Dona Nancy Soares acompanhou sua neta Sara, de 4 anos, ao II Centro de Saúde, no Poço, para atualização da caderneta e diz que sempre se sente muito tranquila após levar a neta para se vacinar. “Eu fico muito despreocupada e com a certeza de que ela estará protegida contra doenças sérias como, por exemplo, o sarampo. Não vejo a hora de chegar a vacina da Covid para a idade dela também e nós seremos as primeiras da fila”, declarou.

Dona Nancy Soares e sua neta Sara foram atualizar a caderneta de vacinação. Foto: Ascom SMS

A enfermeira que atendia no local, Ana Estênio, lembra que a atualização da Caderneta de Vacinação nas unidades é uma ação preventuiva, pois evita o ressurgimento de doenças que, no passado, agravaram a saúde coletiva dos brasileiros.

“Mesmo as doenças que já foram erradicadas podem surgir novamente e é na inibição dessa recorrência que a atualização do esquema vacinal atua principalmente. Por isso, é tão importante que as mães façam esse gesto de amor e tragam seus filhos para se vacinar, colaborando para o equilíbrio e manutenção da saúde do filho e da coletividade”, destacou.

Enfermeira do II Centro de Saúde, Ana Estênio. Foto: Ascom SMS

A data

O Dia Nacional da Vacinação foi instituído pelo Ministério da Saúde com a finalidade de ressaltar a importância da vacina no controle de doenças e na prevenção de epidemias. Graças ao surgimento das vacinas, diversas doenças desapareceram e muitas outras estão com índices bastante reduzidos de contaminação.

A distribuição das vacinas e o calendário de imunização são geridos pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) do MS, que garante imunização para a população brasileira. Criado em 1973, o PNI tem uma história de conquistas, destacando-se a erradicação do sarampo, a eliminação do tétano neonatal e a manutenção da erradicação da poliomielite.

Polyanna Monteiro/Ascom SMS

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo