“Mutirões do Nome Limpo poderão ajudar 819 mil alagoanos endividados” afirma Rodrigo Cunha

Maceió recebe a partir da segunda-feira (2) o primeiro da série de Mutirões do Nome Limpo que serão realizados em diversas regiões de Alagoas. E de acordo com o senador Rodrigo Cunha (PSDB), relator da Lei que já está permitindo a renegociação dos débitos de milhares de brasileiros que acumulam dívidas e não conseguem quitá-las, “somente em nosso estado, os Mutirões do Nome Limpo poderão ajudar 819 mil alagoanos endividados. Por isso, lutamos tanto pela criação desta Lei e por isso queremos alcançar e beneficiar o máximo de cidadãos com estes Mutirões”, disse o senador nesta sexta-feira (30).

O número de 819 mil alagoanos endividados e com restrições de crédito, sendo 34,2% da população adulta de Alagoas, foi divulgado pela Serasa, instituição nacional de análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios. Ainda de acordo com a Serasa, o total de dívidas negativadas em nome de cidadãos de Alagoas alcança R$ 3,07 milhões, sendo quase 4 dívidas por cada CPF de um cidadão alagoano. Com os Mutirões do Nome Limpo, estes valores poderão ser negociados pelos devedores com redução de juros, de multas e com condições facilitadas de pagamento chegando até a quitação com somente R$ 100,00, em alguns casos.

A realização do evento acontece após a sanção da chamada Lei do Nome Limpo, que também contou com Rodrigo Cunha na articulação para sua aprovação no Congresso Nacional e sanção pelo presidente Jair Bolsonaro. Os Mutirões têm apoio do senador e, em Maceió, é organizado pelo Procon municipal. A iniciativa ocorre até a sexta-feira (6), das 9h às 15h, no calçadão da Rua do Comércio. Bancos, financeiras, lojas de varejo, operadoras de cartão de crédito e de telefonia, além de concessionárias de serviços públicos como de energia elétrica, vão oferecer seus descontos e meios facilitados para a negociação de dívidas.

“Esta variedade de opções de empresas é importantíssima. Por exemplo, ainda de acordo com os dados da Serasa, em Alagoas um total de 51,5% destes R$ 3,07 milhões em dívidas são com empresas de fornecimento de água, gás e eletricidade, como a Equatorial, a Algás e a Casal, por exemplo. Já com bancos as dívidas somam 23,5% deste valor global, com lojas de varejo 6,2% e com financeiras 6,1% destes mais de R$ 3 milhões. É fundamental dizer que ao renegociarem suas dívidas e popularmente “limparem seus nomes” e CPFs, estas pessoas vão voltar a ter crédito no mercado e condições de melhor planejamento financeiro”, destacou Rodrigo Cunha.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo