Ministério da Cidadania lança o Programa Vem Ser!

O Governo Federal, por meio do Ministério da Cidadania, lançou o Programa Vem Ser! durante cerimônia realizada em Brasília na quarta-feira (22/09). Voltado principalmente a crianças e adolescentes entre oito e 17 anos, a iniciativa visa propiciar o desenvolvimento integral dos alunos tendo como princípio a inclusão social, com uma metodologia focada na iniciação esportiva.

“Às vezes a gente precisa mais do que estimular, precisa cuidar do cidadão. Esse é o maior ativo do nosso Brasil. Às vezes ele está ali, no fio da navalha e qualquer detalhe pode desandar tudo. Então, é muito importante contribuir no que pudermos para ser um parceiro para ele encontrar caminhos virtuosos”, frisou João Roma, ministro da Cidadania.

O Programa Vem Ser! poderá ser executado em escolas ou espaços comunitários, públicos ou privados, sendo desenvolvido no contraturno ou como complemento das atividades escolares. “Esse programa integra outras fontes e abrange todos os cenários com essa atividade virtuosa que é o esporte. O esporte simboliza para todos nós superação, mas ele envolve muitos outros valores”, continuou o ministro da Cidadania.

Os núcleos esportivos do Programa Vem Ser! são projetados para 100 crianças e adolescentes, com 25 alunos por turma. Serão quatro horas semanais (16 horas/aula por mês) para cada grupo. Com custo total de R$ 244,7 mil, os primeiros núcleos começarão os trabalhos em 2022, mantendo o equilíbrio de gênero e respeitando a especificidade de cada indivíduo e a realidade de cada município.

Os núcleos serão viabilizados por meio de parcerias entre a Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (SNELIS) da Secretaria Especial do Esporte e governos estaduais, municipais e do Distrito Federal, além de instituições públicas federais de ensino e Organizações da Sociedade Civil (OSC), com apoio de recursos financeiros próprios do Ministério da Cidadania ou por meio de emendas parlamentares.

 

Inversão da pirâmide

O investimento no esporte educacional é um dos pilares da política do Governo Federal para promover a cidadania e a saúde entre crianças e jovens. “Desde que eu assumi a Secretaria Especial do Esporte, há um ano e três meses, venho dizendo que é preciso inverter a pirâmide do esporte brasileiro e priorizar o esporte na escola. Com esse projeto, nós damos mais oportunidades a nossas crianças e jovens de acesso ao esporte”, ressaltou o secretário Marcelo Magalhães.

A secretária nacional da SNELIS, Fabíola Molina, apresentou dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) que apontam que 81% dos adolescentes não atingem as recomendações de 300 minutos de atividades físicas mínimas durante a semana, o recomendável para essa faixa etária.

“É mais alarmante ainda para as meninas, pois 89% não atingem essa quantidade de minutos por dia. A faixa dos meninos também é bem alta, 78% aqui no Brasil. Nós entendemos que é na escola que podemos começar a fazer essa transformação. É na escola onde podemos oportunizar o acesso das crianças e dos adolescentes ao esporte”, apontou Fabíola Molina.

Entre os dias 29 de outubro e 5 de novembro, no Rio de Janeiro, serão disputados os Jogos Escolares Brasileiros (JEB’s) para crianças e jovens de 12 a 14 anos. O Brasil ainda será sede, em 2022 e 2023, dos Jogos Escolares Sul-Americanos e dos Jogos Mundiais Escolares Sub-15, respectivamente.

As competições servem como um estímulo a mais para a prática esportiva entre os alunos, já que, como ressaltou Fabíola Molina, que foi atleta olímpica da natação: “É difícil entender o esporte sem uma competição no final”.

Além da iniciação esportiva, um dos objetivos do Programa Vem Ser! é ressaltar entre os participantes valores como amizade, respeito, excelência e amor, de modo que o resultado final contribua no crescimento individual dos alunos não apenas nas atividades esportivas, mas no sentido de noções sólidas de cidadania.

O lançamento do Programa Vem Ser! também foi prestigiado pelo deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), pelos demais secretários da Secretaria Especial do Esporte, pelo vice-presidente da Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), Robson Aguiar, e pelo presidente da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), Luciano Cabral, entre outras autoridades.

Com informações do Ministério da Cidadania

 

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo