Mais de 60 ligações clandestinas de água foram flagradas por operação da Arsal, Casal e PM

Operação em conjunto flagrou 65 situações de irregularidades no consumo de água  no Sertão e Bacia leiteira do Estado. A fiscalização foi realizada pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e Polícia Militar na última semana, e teve como objetivo coibir o tipo de crime que prejudica o meio ambiente e a sociedade.

A operação foi realizada pelas Unidades de Negócio Sertão e Bacia Leiteira  da Casal, que contou com o apoio dos engenheiros da Arsal e de militares do 9° e 7º Batalhões da PM/AL.

Com o intuito de detectar irregularidades no uso da água e o combate a perdas, a subgerente responsável pela unidade Sertão, Anne Elizabeth, esteve acompanhando a operação e ressaltou a importância da ação. “Estamos trabalhando para que não haja comprometimento no abastecimento de água para a população usuária deste recurso. A Arsal atua para garantir a continuidade e qualidade nos serviços prestados aos alagoanos”, disse.

Em Piranhas e Dois Riachos, 22 ligações clandestinas foram flagradas, na quinta (11) e na sexta-feira (12). Elas estavam comprometendo o abastecimento de água nas cidades e prejudicando milhares de pessoas que possuem ligações regularizadas. Os alvos foram, principalmente, hotéis, pousadas e grandes empreendimentos.

Na região da Bacia Leiteira, a operação esteve em Major Izidoro e Cacimbinhas, onde foram encontradas e desfeitas situações de furto de água em propriedades rurais, sítios e chácaras.

Já em Dois Riachos, durante ação realizada no sábado (13), a operação encontrou mais 43 ligações clandestinas, cinco delas usadas para abastecer ilegalmente caminhões-pipa. Devido a esses furtos de água, toda a cidade estava com deficiência no fornecimento de água.

Na operação, foram encontradas ligações clandestinas, mais conhecidas como “gato”; hidrômetros furados; cavaletes violados; e religações clandestinas. Todas as situações foram desfeitas, os responsáveis foram multados e alguns conduzidos pela PM à delegacia para responder administrativa e penalmente pelos delitos.

De acordo com a direção da Casal, essas operações vão continuar em todo o Estado, pois visam à melhoria do abastecimento para pessoas que sofrem diretamente com o furto de água nas redes e adutoras.

O subgerente da Unidade da Bacia Leiteira da Arsal, David Wilson, ressalta a importância dessas ações  para coibir as ligações e furtos de água, “isso evita o comprometimento do sistema e garante a qualidade e a continuidade do serviço”, pontuou.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!