Mais de 1,3 mil atendimentos são realizados pelo Alô Saúde Mental em três meses

Implantado em 1º de junho para prestar assistência psicológica aos alagoanos que desenvolveram transtornos mentais durante a pandemia da Covid-19, o Alô Saúde Mental realizou 1.386 atendimentos até 1º setembro. Criado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), o serviço funciona de domingo a domingo, das 7h às 19h, podendo ser acessado através de uma plataforma de atendimento via whatsapp, disponível pelo número 3315-1532, através do telefone gratuito 0800 082 5050 e também em um chat no portal da Saúde Alagoas (www.saude.al.gov.br).

Conforme o balanço divulgado pela Sesau nesta quarta-feira (2), das pessoas atendidas pelo Alô Saúde Mental em três meses de funcionamento, 25.74% eram do sexo masculino e 74.26% do feminino. Os dados mostram, ainda, que 43% tinham idade entre 18 a 29 anos, 25% entre 30 a 39 anos, 18% estavam na faixa etária de 40 a 49 anos, 10% tinham entre 50 a 59 anos e 5% entre 60 a 79 anos.

Entre os transtornos mentais relatados aos psicólogos do Alô Saúde Mental, a ansiedade foi citada por 32.69% e a tristeza por 24.04%. Já 15.35% disseram chorar facilmente em razão da pandemia e 12.46% informaram estar com o coração acelerado. A respiração pesada foi o transtorno citado por 6.73% dos usuários que acionaram o serviço e 5.10% disseram estar sentindo tremores, enquanto que 3% relataram sensação de pânico e 2% informaram estar com depressão.

Sintomas – Quanto a frequência dos sintomas, 53.30% dos usuários do Alô Saúde Mental relataram senti-los mais de uma vez por dia e 26.60% disseram que os sintomas de transtornos mentais ocorriam o tempo todo. Já 13.30% descreveram que uma vez por semana o problema surgia e 6.60% pelo menos uma vez ao dia.
Com relação a intensidade dos sintomas dos transtornos mentais sentidos, 60% disseram que eles eram intensos e 26.66% argumentaram que eles eram moderados. Outros 6.66% dos usuários descreveram os sintomas como leves e mais 6.66% os classificaram como muito intensos.

Das pessoas que acionaram o Alô Saúde Mental, 21.32% disseram estar ociosas e 16.12% informaram que estavam em isolamento domiciliar. Já 11.35% relataram estar com problemas relacionados ao trabalho, 11.34% confidenciaram estar com medo da Covid-19, 9% com dificuldade de relacionamento, 2.76% com idosos e 1.88% temiam a falta de medicação.

Ao longo dos últimos três meses, o Alô Saúde Mental foi um serviço fundamental para centenas de alagoanos que desenvolveram algum transtorno mental relacionado à pandemia da Covid-19, segundo o supervisor de Atenção Psicossocial da Sesau, Rodrigo Gluck. “Por meio do serviço, eles tiveram como receber assistência psicológica, porque o confinamento, a falta de contato humano, autonomia e liberdade, contribuem para o surgimento de transtornos mentais graves”, salientou.




Botão Voltar ao topo