Maceió registra 7% de faltosos para a segunda dose da vacina contra a Covid-19

Especialista alerta para a necessidade de completar o ciclo vacinal para assegurar a imunização

Em análise realizada pelo Ministério da Saúde, foi contatado que 11.460 maceioenses não retornaram para completar o processo de imunização contra a covid-19. Isso representa 7% de faltosos, que não tomaram a segunda dose da vacina. O atraso prejudica o ciclo de imunização, que precisa das duas doses para assegurar a eficácia do imunizante e diminuir o aumento do número de contágios pelo coronavírus.

A análise foi realizada na última segunda-feira (20), por meio da plataforma de dados abertos da vacinação contra a Covid-19. Destes, 4.740 não tinham concluído a imunização com a Coronavac e 6.720 com a AstraZeneca.

A médica infectologista Maria Claudiane Bezerra de Souza, do Bloco I do PAM Salgadinho, explica que cada vacina apresenta suas características e propriedades particulares e defende a necessidade de as pessoas completarem o processo.

“No caso da vacina contra a Covid-19, a maioria dos imunizantes disponíveis constitui um ciclo de duas doses. A segunda dose tem a função de aumentar os títulos de anticorpos e melhorar a resposta celular específica, fazendo com que a resposta imunológica seja mais eficaz e duradoura. Assim, um indivíduo que tome apenas uma dose da vacina de um esquema duplo não está ainda imunizado”, alerta.

A especialista orienta as pessoas que estão com o calendário atrasado a buscar os postos para concluir a imunização o quanto antes. “Mesmo quem atrasou a segunda dose precisa procurar um posto de vacinação para concluir o esquema de vacina”, afirma a médica.

Imunização completa e cuidados individuais

Ela lembra que o controle da pandemia depende do percentual de pessoas vacinadas e dos cuidados individuais para a proteção. “Somente quando um percentual de mais de 70% da população estiver completamente vacinada contra a Covid-19 é que deve ocorrer o controle da pandemia. Até lá, devemos manter todos os cuidados para evitar o adoecimento, como o distanciamento social, uso da máscara e higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel com frequência”.

Fernanda Rodrigues, diretoria de Vigilância em Saúde. Foto: Arquivo Ascom SMS

Quem não compareceu ao posto de vacinação para tomar a segunda dose deve procurar fazê-lo o mais rápido possível. A Diretora de Vigilância em Saúde, Fernanda Rodrigues, reforça a necessidade de conclusão do esquema vacinal para garantir a imunização. “A vacina só terá sua plenitude em eficácia com a aplicação das duas doses”, alerta.

A diretora informa que o atraso pode ter sido ocasionado por diferentes fatores e chama a atenção para as pessoas atentarem para as informações contidas no cartão de vacinação, que aponta a data da segunda dose.

“O esquecimento, adoecimento ou receio da reação vacinal podem ser motivos para esse atraso. Além disso, algumas pessoas podem ter recebido a segunda dose em outras localidades”, explica a diretora. “Mesmo que a data da segunda dose já tenha passado, é fundamental que as pessoas procurem o posto de vacinação para se imunizar”, completa.

Marília Ferreira/Ascom SMS

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo