Justiça condena Otávio Cardoso a 26 anos de reclusão pela morte de Bárbara Regina

O réu Otávio Cardoso da Silva Neto foi condenado pela Justiça alagoana 26 anos e seis meses de reclusão pela morte da estudante Bárbara Regina Gomes da Silva, ocorrida em 2012. A pena deverá ser cumprida em regime inicialmente fechado. O júri popular foi realizado nesta terça (28), no Fórum do Barro Duro.

Pela manhã, foram ouvidas três testemunhas, a mãe da vítima e o acusado. Otávio negou a autoria do crime. Ele disse que não conhecia Bárbara e que apenas deu carona a ela, a pedido da própria, deixando-a na avenida Álvaro Otacílio. Depois, ele teria parado em um posto de gasolina, no Farol, para comprar cigarros e tomar um café.

Para a família da estudante, que acompanhou o julgamento com apreensão, o resultado traz um pouco de alento. “Estou um pouco aliviada. A gente esperava isso da justiça. Apesar da sentença, não vou ter mais a minha filha. Contudo, esse rapaz não poderia ficar solto para não prejudicar outras famílias”, disse Valéria Leite da Silva, mãe da estudante.

Otávio Cardoso foi condenado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. O júri foi presidido pelo juiz John Silas da Silva, titular da 8ª Vara Criminal de Maceió.

O caso
Segundo a denúncia, o réu conheceu a vítima em uma boate, no bairro Ponta Verde, na capital. Ele saiu do local acompanhado da estudante. Ainda segundo a acusação, Otávio matou Bárbara Regina após ela se negar a ter relações sexuais com ele.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *