JULHO AMARELO: unidades de Saúde reforçam ações de combate às hepatites

Mesmo em meio aos cuidados necessários para o enfrentamento da Covid-19, a população precisa estar atenta à prevenção de outras doenças. Por isso, durante o mês de julho a Secretaria Municipal de Saúde reforça as ações de combate as hepatites virais nas unidades de saúde.

Em Maceió, o Julho Amarelo este ano tem o objetivo de estimular os usuários a se imunizarem com as vacinas contra as hepatites A e B e fazerem os testes para os tipos B e C.

“A SMS providenciou para as unidades de saúde um material educativo e os profissionais vestirão camisetas amarelas, reforçando a campanha. Estamos ainda organizando um webinário,  que provavelmente será dia 16,  em parceria com o Hospital Dia do HU e com a presença de especialista convidado Dr. Eric Bassetti Soares, médico gastroenterologista”, explica Teresa Carvalho, gerente de  IST/HIV/Aids e Hepatites Virais da SMS.

O que é a Hepatite?

É um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, que ocasiona a inflamação do fígado e pode ser causada por vírus, uso de remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. O diagnóstico é feito através de exame de sangue específico.

As hepatites virais podem ser do tipo A, B, C, D e E, sendo os três primeiros tipos os mais comuns na região. A doença nem sempre apresenta sintomas, mas quando aparecem podem ser pele e olhos amarelados, mal-estar, cansaço, febre, tontura, fezes claras, urina escura, enjoo, vômitos e dor abdominal.

Quais as formas de prevenção?

Para prevenir, os usuários não devem compartilhar com outras pessoas qualquer objeto que possa ter entrado em contato com sangue (seringas, agulhas, alicates, escova de dente, etc); devem usar preservativo nas relações sexuais; lavar bem alimentos e as mãos; além de se vacinarem contra os tipos A e B, de acordo com o calendário vacinal. Para diagnóstico dos tipos B e C, todas as unidades de saúde contam com os testes rápidos para a doença.

A hepatite A tem relação com a higiene e manipulação de água e alimentos contaminados, associados a outros hábitos, como não lavar as mãos. Já as hepatites B e C podem ser transmitidas sexualmente. Para a B tem vacina, mas a C é tratável e já apresenta 95% de cura.




Botão Voltar ao topo
Fechar