JHC define metade dos secretários para iniciar gestão

O prefeito eleito por Maceió, João Henrique Caldas (PSB), já está com a metade do secretariado definido para iniciar a sua gestão, no entanto, a lista definitiva só será apresentada na próxima terça-feira (05).

Até a divulgação, as reuniões para acordos e desacordos seguem para acomodar o PDT, aliados do próprio PSB e os que estão chegando para compor a futura Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. No entanto, a maior dúvida é quem comandará a Secretaria Municipal de Economia (Semec). Ao que se sabe, o nome deve vir de Brasília (DF) ou outro Estado.

Já na Secretaria de Segurança Comunitária o titular será o delegado Thiago Prado, enquanto o também delegado da Polícia Federal, André Costa, deve assumir a nova secretaria que tratará das questões que envolvem os bairros afetados pela mineradora Braskem.

Outro nome definido é o do ex-vereador e ex-secretário Carlos Ronalsa, pai do deputado Dudu Ronalsa e da vereadora Gabi Ronalsa, ambos do PSDB. Ele deve ser efetivado na Secretaria de Abastecimento, Trabalho e Economia Solidária.

O sociólogo da Ufal, Élder Maia, irá comandar a pasta da Educação. Porém, o maior desafio será ajustar o calendário da pasta às novas determinações protocolares de distanciamento, para as aulas presenciais e o formato híbrido à distância.

Já para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente, uma das articulações é que quem deve assumir é o vereador Francisco Sales (PSB). Aliado de primeira hora de JHC, ganhou notoriedade com a luta para inclusão do bairro de Bebedouro entre os afetados pela Braskem. Mas passou a ser especulado que pode ir para a Infraestrutura.

Para a Secretaria da Saúde, Pedro Madeiro deve ser nomeado, já que tem experiência na área, porém, com atuações no interior do Estado. Agora, o desafio passa pela a ampliação do atendimento à saúde da família e o “corujão” que se propõe estender o horário de atendimento dos postos de saúde.

A poeta e servidora pública Mírian Monte assumirá a Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC). Com uma produção ligada a literatura dará visibilidade a área, em paralelo com a cultura local e interagindo com a educação, a fim de estimular a leitura.  Por enquanto, estes são os nomes que devem ocupar tais secretarias.




Botão Voltar ao topo