Janeiro Roxo evidencia prevenção, diagnóstico e tratamento da Hanseníase

O primeiro mês do ano é dedicado à luta contra a Hanseníase, doença infecciosa, causada pelo bacilo de Hancen, que acomete a pele e os nervos, causando manchas avermelhadas ou brancas indolores, sensação de formigamento, perda de pelos, caroços pelo corpo, inchaço na face, nas orelhas e dormência nas extremidades, além de sérias incapacidades físicas. E para alertar a população sobre a importância da prevenção e o diagnóstico precoce da patologia, que foi diagnosticada em 194 alagoanos em 2020, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) inicia, nesta quinta-feira (7), a Campanha Janeiro Roxo.

A ação, que tem como tema “Conhecer para não Discriminar”, terá início com o Webnário A História da Hanseníase, que irá ocorrer a partir das 19h, de forma online, por meio do canal do Programa Telessaúde Alagoas no Youtube, que pode ser acessado clicando aqui (https://youtu.be/Ua-oeET_t0c). O tema será abordado pela mestra em Enfermagem Nayara Alexandra Rodrigues e por Artur Custódio e Faustino Pinto, respectivamente coordenador e vice-coordenador nacional do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan).

Já na próxima quarta-feira (13), também partir das 19h, pelo canal do Telessaúde Alagoas no Youtube, a Sesau promove o Webnário Diagnóstico e Tratamento da Hanseníase. O palestrante da noite será Maurício Lisboa Nobre, doutor em Medicina Tropical pela Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro (Fiocruz/RJ), hansenólogo pela Sociedade Brasileira de Hanseníase (SBH) e dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Em seguida, haverá um relato de experiências sobre o diagnóstico e tratamento de pacientes acometidos pela hanseníase. As apresentações ficarão à cargo do médico e assessor técnico dos Programas de Combate à Tuberculose e Hanseníase da Sesau, Melquizedeck Belo, e da dermatologista do II Centro de Saúde de Maceió, Eulina Abreu.

Já no dia 20 deste mês, às 19h, a Sesau promove o Webnário Reação Hansênica, a ser veiculado pelo canal do Telessaúde Alagoas no Youtube. O evento terá como palestrante o hansenólogo pela Sociedade Brasileira de Hanseníase (SBH) e dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Apolônio Carvalho. Na sequência, haverão relatos de experiências do médico da Sesau, Melquizedeck Belo e Silva; do médico do Programa de Hanseníase da Secretaria de Saúde de Arapiraca, José Karlisson Tavares Valeriano; e da dermatologista do Hospital Universitário (HU) de Maceió, Mariana Pires.

Prevenção e Incapacidades – A programação do Janeiro Roxo continua no dia 27 deste mês, às 19h, com o Webnário Prevenção e Incapacidades, que terá como palestrante a fisioterapeuta Luciana Miranda. A transmissão ocorrerá pelo canal do Telessaúde Alagoas no Youtube e terá os relatos dos fisioterapeutas Charlles Petterson Andrade e Thiago Augusto Parente, além da terapeuta ocupacional, Jousy Pimentel de Souza.

No dia 3 de fevereiro ocorre o Webnário Grupo de Autocuidado, que terá como palestrante a terapeuta ocupacional Thaisa Wancy Moraes. O evento também ocorrerá às 19h, terá a transmissão do canal do Telessaúde Alagoas no Youtube e os relatos de experiência ficarão a cargo da enfermeira Fernanda Silva Góes, da coordenadora do Morhan Maceió, Janaína Santos Silva e da integrante do grupo de autocuidado de Rio Largo, Petrúcia Araújo.

E encerrando a programação do Janeiro Roxo, a Sesau promove no dia 10 de fevereiro, às 19h, o Webnário Vigilância Epidemiológica, cujos palestrantes serão representantes dos Programas de Combate à Hanseníase do Estado e das Secretarias de Saúde de Maceió e Arapiraca. Assim como os anteriores, o último evento será transmitido pelo canal do Telessaúde Alagoas no Youtube.

Conforme Itaniely Gomes, enfermeira do Programa Estadual de Combate à Haseníase, em razão da pandemia da Covid-19, a programação do Janeiro Roxo em 2021 ocorrerá de forma online. Entretanto, a programação abordará a prevenção, além de focar no diagnóstico precoce, fundamental para evitar sequelas, e no tratamento da hanseníase, bem como, na reabilitação dos pacientes acometidos pela doença.

“Mesmo em meio à pandemia da Covid-19, a Sesau vai promover o Janeiro Roxo para alertar a população alagoana sobre a hanseníase, cujo contágio ocorre a partir de pessoas doentes que não estejam em tratamento, por intermédio da saliva, espirro e tosse. Por meio de webnários online, onde qualquer alagoano pode assistir, iremos mostrar como diagnosticar a doença e como o tratamento, que dura de seis meses a um ano, ocorre por meio do SUS [Sistema Único de Saúde]”, salientou Itaniely Gomes.

Além da Sesau, a edição 2021 do Janeiro Roxo é promovida pelo Morahn, Rede Universitária Nacional de Combate a Hanseníase (Reuna Hans), Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) e Clínica FisioPalm. Também integram a organização do evento, a Secretaria de Saúde de Maceió, Secretaria de Saúde de Arapiraca, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL) e Hospital Universitário (HU) de Maceió.




Botão Voltar ao topo