Imigrante em situação de rua se prepara para voltar ao Marrocos graças ao Ronda no Bairro

Agentes do Programa Ronda no Bairro, do Governo de Alagoas, se dirigiram até a sede da Superintendência Regional da Polícia Federal no estado, localizada em Jaraguá, na manhã desta quinta-feira (10), para tratar do retorno ao Marrocos de um homem de 21 anos, natural daquele país, que estava vivendo em situação de rua na orla de Maceió. O caso teve início na quarta-feira (9), quando uma guarnição que fazia patrulhamento de rotina pela orla de Ponta Verde foi abordada pelo estrangeiro, que pediu ajuda para encontrar algum local para dormir.

Ainda na noite de quarta-feira, o homem informou aos agentes que mora no Brasil desde fevereiro de 2019 e que era casado com uma brasileira que conheceu em um aplicativo de relacionamentos, com quem tem uma filha de poucas semanas de vida. Segundo ele, nos últimos dias o casal acabou se separando e ele foi morar nas ruas. O imigrante disse, também, que os seus familiares que vivem no Marrocos já haviam sido contactados e se dispuseram a ajudá-lo no retorno ao país, mas ainda não haviam conseguido depositar o valor necessário para a compra da passagem aérea.

Para garantir que o homem tivesse um lugar para ficar até a situação ser resolvida, a equipe social do Ronda no Bairro entrou em contato com a direção da Casa de Ranquines, com nova sede em Jaraguá, que prontamente atendeu a demanda.

Em contato com uma agência de viagens, os agentes foram informados sobre a necessidade de irem até o setor de imigração da Polícia Federal em Alagoas, para solicitar a emissão de um documento de nada-consta e a liberação legal para que ele possa retornar ao seu país de origem, em virtude da pandemia de Covid-19.

Na sede da Polícia Federal, a equipe e o homem foram recebidos pelo delegado plantonista, que tirou todas as dúvidas e deu prosseguimento ao caso, orientando também sobre a necessidade da retirada de alguns documentos que não foram encontrados sob sua posse. Tendo em vista que o homem se tornou pai em solo brasileiro, o Conselho Tutelar também foi acionado e segue acompanhando o caso.




Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo