HGE atendeu mais de 8 mil pessoas em agosto; 390 somente no último dia 31

No último dia de agosto, o Hospital Geral do Estado (HGE) assistiu 390 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Em todo o mês, 8.149 atendimentos foram notificados, uma diminuição de quase 40% na demanda, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Os casos clínicos continuam sendo os mais frequentes. Somente na segunda-feira (31), foram 224 pessoas atendidas na sede do hospital e 83 na Central de Triagem montada no Ginásio do Sesi.

A maioria dos casos clínicos assistidos pelo HGE envolvem doenças crônicas, decorrentes de agravamentos da diabetes e da hipertensão, por exemplo, que repercutem no aumento de pacientes na cardiologia e nos setores fechados, entre eles a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e as áreas Amarela e Vermelha Clínica, que acolhem doentes mais críticos.

“São quadros que necessitam de cuidados especializados e nossa equipe está qualificada em concedê-los. Por outro lado, continuamos preocupados com o quantitativo de acidentes que temos registrados. Na segunda-feira (31) foram 75 notificados, 53 por motivos casuais. É um número muito alto e que pode diminuir com mais atenção e adoção de hábitos preventivos”, afirmou o gerente do HGE, Paulo Teixeira.

Durante as 24 horas, 13 vítimas de acidentes de trânsito foram atendidas, sendo sete em razão de colisões, cinco por queda de moto e uma por atropelamento. As pessoas atendidas em razão de agressões foram sete no total, sendo quatro em consequência de embate corporal, duas por arma branca e uma por arma de fogo. Ainda houve um caso envolvendo tentativa de suicídio e a unidade hospitalar concedeu 168 altas médicas, realizou 67 internações, transferiu 27 pessoas e fez 19 cirurgias.

Na esfera exclusiva aos sintomáticos suspeitos de Covid-19, 65 pessoas apresentaram perfil para o teste rápido, mas 56 descartaram o contágio. E, de acordo com o relatório da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulgado diariamente, 15% dos leitos intermediários exclusivos para pacientes com o novo coronavírus estiveram ocupados.




Botão Voltar ao topo