GUERRA DE POLÍCIAS? Agente da PC-AL é morto por policiais militares de Alagoas

Jorginho era lotado na Delegacia Geral e pode ter sido confundido pelas guarnições

As circunstâncias em que ocorreu a morte do policial civil Jorge Vicente Ferreira Júnior podem estabelecer uma tensão na Secretaria de Segurança Pública (SSP) em Alagoas. Jorginho, como era chamado na Delegacia Geral de Polícia Civil, onde era lotado, foi morto com oito tiros, nas costas, tórax e nuca. A avaliação é da perícia.

Os disparos foram feitos por policiais militares lotados no Batalhão de Polícia de Eventos (BPE) e 3ª Companhia Independente. O policial foi morto ontem à noite, quando retornava para casa, em Riacho Doce.

Informações de testemunhas dão conta de que, após se embriagar, o policial civil voltava para casa cambaleando. Um grupo de pessoas que o conhece o teria abordado, achando que se tratava de brincadeira, uma vez que Jorginho era considerado brincalhão. No entanto, as pessoas do grupo perceberam que ele estava realmente embriagado e uma delas tentou ajudá-lo na caminhada até sua casa. Jorginho teria recusado a ajuda e, armado com uma pistola calibre 9mm, teria feito dois disparos para o chão.

Neste momento, houve correria no local e um policial militar da reserva que mora na região saiu de casa armado para ver o que estava acontecendo e se deparou com Jorginho com a arma em punho. Houve troca de tiros entre o PM e o policial civil e ambos ficaram feridos. O policial militar teria voltado para casa para pegar outra arma carregada. A esposa do PM da reserva, que também é militar, acionou a Polícia Militar para a ocorrência.

As informações colhidas no local pela Polícia Civil dão conta de que, quando as guarnições da PM chegaram ao local, fizeram um breve levantamento e, mais adiante, se depararam com o policial civil baleado, tentando voltar para casa. Neste momento, os policiais militares teriam feito vários disparos contra Jorginho, que caiu. Um dos PMs teria se aproximado e, à curta distância, feito um disparo com uma arma pequena (provavelmente pistola) na nuca de Jorginho.

Também chegou à Delegacia Geral a informação de que o policial civil não teria feito nenhum disparo contra os integrantes das guarnições.

Na perícia feita no local, foram recolhidos dezenas de estojos de fuzil do calibre 556, pistolas .40, espingarda 12 e outros de calibre ainda não identificado. Na perícia de local, não teria sido encontrado nenhum estojo de pistola calibre 9mm, a que o policial civil portava.

Durante o tiroteio, muita gente que mora na região ou estava passando por lá, denunciou o caso nas redes sociais. Inicialmente, tratava-se de uma troca de tiros entre policiais e bandidos. Depois foi dada a informação de que um policial civil tinha morrido da troca de tiros.

Mesmo com toda a mobilização da Polícia Civil e da Polícia Militar ontem à noite no local, o relatório do Centro Integrado de Operações da Segurança Pública (Ciosp) divulgado hoje pela manhã não trouxe nenhuma informação sobre o caso. A SSP enviou uma nota às redações lamentando a morte do policial civil.

INVESTIGAÇÕES

Na Polícia Civil, será nomeada uma comissão de delegados para investigar o caso em Inquérito Policial. Até as 14h de hoje, o delegado-geral, Paulo Cerqueira, ainda não havia divulgado os nomes dos delegados que integrarão a comissão.

NOTA DA POLÍCIA

A Delegacia Geral da Polícia Civil de Alagoas informa que estão sendo apuradas as circunstâncias que culminaram na morte do policial civil Jorge Vicente Ferreira Júnior, na noite deste domingo (17), no bairro de Riacho Doce, litoral Norte de Maceió.

Até o momento circulam nas redes sociais diversas versões desencontradas. No entanto, a Polícia Civil só se posicionará após a conclusão das investigações acerca do episódio.

NOTA DA SSP

A Secretaria de Estado da Segurança Pública de Alagoas (SSP) vem a público manifestar suas condolências à família e amigos do policial civil Jorge Vicente Ferreira Júnior, que morreu na noite deste domingo (17), no bairro de Riacho Doce, Litoral Norte da capital.

O secretário Alfredo Gaspar de Mendonça, em nome da Segurança Pública, lamenta o ocorrido e afirma confiar no esclarecimento dos fatos pelas investigações e na manutenção sólida da integração entre as forças de segurança.

Por fim, a Secretaria da Segurança Pública se coloca à disposição de familiares e das instituições policiais para o que for necessário e informa que mais informações acerca do caso serão repassadas após a conclusão do inquérito policial.

INFORME DO SINDPOL

Sindpol pedirá elucidação da morte do policial civil ao Delegado Geral na manhã desta segunda (18)

A direção do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas, está indo na manhã desta segunda-feira (18), às 10 horas, na Delegacia Geral, para cobrar a elucidação da morte do policial civil Jorge Vicente Ferreira Junior, ocorrida ontem à noite (17), por policiais militares no bairro do Riacho Doce.

O Sindpol quer o que o Delegado Geral, Paulo Cerqueira, apure os fatos e seja feita investigação de forma imparcial.

Por Deraldo Francisco

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!