Governo debate violência de gênero e estimula empoderamento nas grotas de Maceió


Para intensificar as atividades em prol da proteção dos direitos da população feminina e do combate à violência contra a mulher, a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) realizou, na terça-feira (26), roda de conversa com o tema “Violência de Gênero e Empoderamento Feminino” para mulheres das grotas do Alto do Boa Vista e Jardim Petrópolis, em Maceió.

A atividade da Semudh, por meio da Superintendência de Políticas para a Mulher, em parceria com lideranças locais, buscou trazer a importância do diálogo para mulheres em situação de vulnerabilidade e na formação de grupos para a composição de uma rede de apoio local no enfrentamento à violência.

Durante a roda de conversa, a superintendente Dilma Pinheiro e a palestrante Mirian Soares apresentaram todas as informações referentes à rede de acolhimento para as possíveis vítimas que sofrem agressão na região, além de atividades e dinâmicas com o objetivo de chamar a atenção da população em geral para o problema.

“Precisamos ter um olhar diferenciado em todos os casos que envolvem a violência contra a mulher. Estamos conversando com as lideranças para criar essa rede de apoio a fim de aumentar os números de denúncias e, consequentemente, combater de frente esse mal”, disse a secretária da Semudh, Maria Silva.

De acordo com a líder da Associação dos Moradores da Boa Vista, Mônica Brito, a presença dos moradores foi importante para que haja a disseminação de informação na região. “Sabemos o compromisso da mulher que é mãe e que tira um tempinho para estar junto às lideranças a fim de participar de uma roda de conversa como esta. Somente juntas é que podemos vencer essa batalha e a Semudh é uma grande parceira nesse sentido”, comemorou Mônica.

Desconhecimento

A rede de acolhimento e atendimento à mulher vítima de violência muitas vezes é desconhecida por parte da população. É por isso que a Secretaria trabalha em áreas que necessitam de mais atenção para difundir a informação e orientar sobre como denunciar os casos de agressão.

Segundo uma das moradoras que participou da atividade, mas não quis se identificar, o debate foi esclarecedor e mostrou novos caminhos no enfrentamento à violência. “Conheço pessoas que passam por isso praticamente todos os dias. Agora, com o conhecimento do disque 180, posso ajudar essas mulheres a passar por cima disso por meio da denúncia anônima”, explicou.

Além do Disque 180, os moradores ainda podem ligar para o 190, também de forma anônima, para casos em flagrante.

Atendimento

O Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) possui uma equipe multidisciplinar pronta para atender, de forma gratuita, mulheres em situação de violência e vulnerabilidade por meio de atendimento psicológico, jurídico e de assistência social.

“É preciso que esse conhecimento do aumento do número de denúncias seja dividido para a população que vive em grotas para mostrar a coragem e o empoderamento feminino crescente na luta pelo respeito e pela dignidade da mulher”, reforçou Dilma Pinheiro.

A programação do Mês da Mulher segue até o dia 31 de março, visando ampliar o círculo de segurança e impulsionar o desenvolvimento intelectual e a autonomia da população feminina no Estado.

Ascom – 27/03/2019