FMAC discute realização dos festejos juninos com a Liga de Quadrilhas

O encontro contou com a presença do senador Rodrigo Cunha

O segundo encontro entre a Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC) e a Liga de Quadrilhas Juninas de Alagoas (LIQAL) discutiu nesta sexta (5) a possibilidade de realizar os festejos juninos na capital, observando o panorama da pandemia de Covid-19 e todas as medidas de segurança. O encontro contou com a presença do senador Rodrigo Cunha, que conheceu as instalações da Fundação e se dispôs a ampliar as relações institucionais com a FMAC.

A ideia é realizar um evento em que as 15 quadrilhas juninas de Maceió, filiadas à Liga, possam se apresentar à população maceioense, sem a realização de um concurso entre os quadrilheiros. Em todo o estado, a Liga conta com 42 grupos filiados.

“A cultura, percebida a partir do conceito da economia criativa, é primordial para o nosso desenvolvimento como povo e estado. Alagoas tem uma riqueza gigantesca nessa área, por isso, nosso mandato faz questão de estar presente, apoiar e trabalhar no que for preciso as políticas culturais e o fortalecimento da nossa identidade. A cultura é responsável por dar significado à nossa vida e, depois de uma pandemia, ela será responsável por ressignificar”, diz o senador.

Mírian Monte destacou a possibilidade de movimentar a cadeia produtiva que os festejos juninos geram em Maceió com o incremento do turismo, comércio e serviços. “Daí o desejo de realizar um evento que leve em conta todos os procedimentos de segurança, por conta do coronavírus, mas que as quadrilhas possam se apresentar com toda exuberância para o público, fazendo com que a população participe da festa que representa nossa tradição e marca a identidade cultural nordestina”, pontua a presidenta da FMAC.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!