Fake News ajudaram Ronaldo e Marx. Leia aqui: tem notícia nova que os fake não sabem

Nos últimos dias ninguém foi mais Maria vai com as outras que Ronaldo Lessa. Decidido, por motivos mil, pela opção da reeleição, a turma do “pensa que sabe” levou nas costas e acabou dando visibilidade ao preocupado líder da bancada federal. Ronaldo sente que não está bem e precisa de mais reforço para consolidar a vitória.

Na disputa ao Senado ninguém foi mais chacoalhado, botado de cabeça para baixo e fritado que Marx Beltrão. Falaram tanto, que o então ministro do Turismo ficou no meio do fogo cruzado entre suas conquistas para Alagoas e as fake news da mesma turma do “pensa que sabe”. “Marx está fora”; “Marx desistiu”, “Marx tem até tal dia para entregar os cargos no governo”; “Marx isso, Marx aquilo”. Resultado: a soma do trabalho como ministro + a visibilidade na mídia negra deu a Marx mais popularidade e musculatura para seguir com a candidatura ao Senado.

Motivações diferentes
No caso de Ronaldo as fake news eram para forçar a tão esperada disputa contra Renan Filho. Os que estão com cuia na mão sabem que, sem disputa ao governo, a eleição fica pobre de marré e sem dinheiro para negociar com os aliciadores (prefeitos, vices, ex-prefeitos, ex-vice, vereadores, ex-vereadores e até agentes de saúde) o bicho pega.

Operação surdina e sem alarde
O que a turma do “pensa que sabe” NÃO SABE é que a oposição já tem um nome, que já disse SIM a Rui Palmeira e Teotonio Vilela, líderes do PSDB. Rodrigo Cunha saberá esta semana. Falta combinar com o PP, de Benedito e Arthur Lira.

Pelo que conheço do indicado não haverá rejeição de Thomaz Nonô (DEM), Heloísa Helena (Rede), JHC (PSB) e Bruno Toledo (PROS), que lideram os partidos opositores ao grupo liderado pelo MDB.

Se é competitivo ou não; se é conhecido ou não; se… se… se… é trabalho dos marqueteiros. Só sei que o nome é bom.

E como sei ou por que sei? não posso dizer.

Com informações de Wadson Regis




Botão Voltar ao topo
Fechar