Em requerimento à diretoria da Aneel, Marx Beltrão reivindica suspensão do corte de energia até o final de 2020

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu que, a partir do dia primeiro de agosto, voltou a ser permitida a possibilidade de cortes de energia por falta de pagamento para consumidores residenciais e comerciais, desde que estes sejam reavisados.

A distribuidora deve enviar ao consumidor nova notificação sobre existência de pagamentos pendentes, ainda que já tenha encaminhado em período anterior para o mesmo débito.

Diante da medida, o deputado federal Marx Beltrão (PSD) recorreu junto à Agência, e protocolou pedido para que a suspensão da possibilidade de corte por inadimplência em tempos de pandemia do novo coronavírus perdure até 31 de dezembro de 2020.

O parlamentar afirmou no documento que as empresas do setor, a exemplo da Equatorial Alagoas, apresentaram lucro neste ano. No caso da Equatorial, este lucro foi superior a R$ 1 bilhão.

“A despeito de um péssimo serviço prestado em Alagoas, a concessionária Equatorial é não somente superavitária, como ainda está sendo agraciada com um generoso empréstimo por parte de nosso maior banco público de fomento empresarial. Este empréstismo junto ao BNDE é de mais de R$ 1 bilhão. Senhor Diretor-Geral, face ao exposto, requeiro que esta Aneel permita que as empresas de distribuição de energia sejam impedidas de cortar a energia de todo e qualquer lar brasileiro até 31 de dezembro de 2020” diz um trecho do requerimento protocolado por Marx Beltrão nesta terça-feira (4) destinado à diretorial geral da Agência.

Os cortes estão autorizados a acontecer desde 1º de agosto, mas a Aneel explica que lei federal proíbe “efetuar cortes por falta de pagamento às sextas, aos sábados, domingos, feriados e dias que antecedem feriados”.




Botão Voltar ao topo