EM MACEIÓ! Eduardo Leite critica Bolsonaro e diz que país não “merece Lula de volta”

O sábado, 17, foi de festa para a tucanada alagoana. O senador e presidente do PSDB-AL Rodrigo Cunha recebeu, em Maceió, o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite, um dos nomes que poderá disputar as eleições presidenciais do ano que vem.

Entre Lula e Bolsonaro, Eduardo Leite representa a nova política. Com 36 anos, o governador gaúcho reforça que faz parte da geração millennials, a primeira que cresceu com as facilidades da internet e da tecnologia digital.

Isso, conforme Leite, faz dele alguém com uma nova visão da política e da sociedade. “Posso cometer novos erros, mas não os mesmos da velha política”, disse à imprensa alagoana. Eduardo Leite ainda não poupou críticas a Jair Bolsonaro.

Disse considerar o governo bolsonarista uma catástrofe e, que em meio à pandemia, revelou sua verdadeira face, uma administração sem empatia com a população. Quanto a Lula, o governador salientou que a população tem que pensar em novas alternativas e não em eleger de volta o líder de um governo marcado pela corrupção.

Eduardo Leite, no início do mês, assumiu publicamente sua homossexualidade, mesmo fazendo parte de um partido considerado conservador. No entanto, Leite defendeu a sigla chamando-a de respeitosa e que sempre está ligada na política voltada à diversidade.

Trajetória

Eduardo Leite é o governador do Estado do Rio Grande do Sul, eleito com 3.128.317 votos – 53,62% dos votos válidos nas eleições de 2018. Nascido em Pelotas, em 10 de março de 1985, tem mandato até 2022. Chegou ao Palácio Piratini aos 33 anos de idade. É o governador mais jovem do Brasil. Leite começou cedo a trajetória na política. Foi prefeito de Pelotas entre 2013 e 2016, após receber 110 mil votos. Antes disso, foi secretário municipal, vereador e presidente da Câmara Municipal na mesma cidade.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo