Duas mulheres são vítimas de violência em duas horas na capital alagoana

Duas mulheres foram vítimas de violência em Maceió entre a noite desta quarta-feira (7) e a madrugada desta quinta-feira (8). Os crimes aconteceram com cerca de duas horas de diferença nos bairros de Ipioca e Jardim Petrópolis. Os dois suspeitos foram presos em flagrante e autuados com base na Lei Maria da Penha.

O primeiro caso foi registrado na rua Raul Angelo, nas proximidades de uma igreja da Assembleia de Deus, localizada em Ipioca, por volta das 23h. Um homem de 40 anos foi preso após agredir fisicamente a sua esposa e tentar incendiar a casa em que os dois moravam.

A guarnição motorizada da Força Tarefa 19, que integra o Batalhão de Polícia de Eventos (BPE), foi a responsável pela prisão. Não há informações sobre o estado de saúde da vítima. O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL) foi acionado para conter o princípio de incêndio, foram quatro viaturas e treze militares empregados para a ocorrência.

Já a segunda agressão foi registrada por volta da 1h da madrugada de hoje no Jardim Petrópolis II. A guarnição motorizada da Patrulha Maria da Penha foi acionada para atender uma denúncia de violência doméstica. Chegando no local encontraram a vítima que junto com as testemunhas presentes informou a guarnição o que havia acontecido. 

O agressor estava alterado e apresentava sinais de embriaguez e a guarnição da Força Tarefa 15, que pertence ao 4° Batalhão de Polícia Militar (BPM) foi acionada para auxiliar no transporte das partes envolvidas no caso. A vítima foi levada para o Instituto Médico Legal (IML), para fazer um exame de corpo de delito. Ao ser comprovada a agressão, o acusado, de 58 anos, foi preso.

Os dois suspeitos foram detidos por violência contra a mulher com base na Lei Maria da Penha e conduzidos para a Central de Flagrantes I, localizada na Avenida Fernandes Lima, no Farol. Para denunciar qualquer caso de violência doméstica basta entrar em contato com a Central de Atendimento à Mulher, no número 180, o serviço é gratuito e não é necessária a identificação do denunciante.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!