Dor de cabeça: esta dica simples te ajudará a evitá-la

A fisioterapeuta Débora Grossi, da USP, explica como essa ciência é usada para amenizar as dores de cabeça:

A prática fisioterapêutica não trata da cefaleia em si, mas de suas repercussões na vida do paciente. Por isso, tem um papel muito importante no sentido de ensinar a manejar a dor, independentemente do tipo. Uma cefaleia tensional, por exemplo, pode estar associada à má postura. E é aí que entra a fisioterapia, para ajudar o indivíduo a detectar as repercussões musculoesqueléticas dessa dor.

Muitas vezes, antes de a dor chegar, o pescoço da pessoa vai ficando duro e rígido. O fisioterapeuta ajuda esse paciente a identificar tais sinais e passa uma série de automassagens e alongamentos para serem realizados antes ou durante a dor, caso não seja uma forte enxaqueca, a qual nem os exercícios resolvem. São práticas que envolvem a ativação, o fortalecimento e o relaxamento de determinados músculos — especialmente da face e do pescoço — que costumam ficar tensos durante a crise.

Confira como colocar o exercício em prática:

Passo 1
Sente-se, deixe os pés apoiados no chão lado a lado e mantenha a postura ereta.

Passo 2
Com o queixo firme, gire lentamente o pescoço para a esquerda e, na sequência, para a direita.

Passo 3
Com a mão direita, segure o lado esquerdo da cabeça até encostar no ombro, esticando o pescoço. Permaneça assim por pelo menos 15 segundos. Repita o processo do outro lado.

Marcos Granja

Jornalista - MTE 1905/AL

Artigos relacionados