DOE SANGUE: com 30% do estoque necessário, Hemoal inicia campanha de doação de sangue

Nesta segunda-feira (21), começou a campanha “Doe sangue e seja o amigo secreto de alguém neste Natal” promovida pelo Hemocentro de Alagoas (Hemoal).

De acordo com a assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) a ação, que visa formar um estoque estratégico para atender a demanda de transfusões nas maternidades e hospitais neste fim do ano, vai agraciar os voluntários com uma camisa confeccionada especialmente para homenageá-los.

Em Maceió, na Unidade Trapiche, situada ao lado do Hospital Geral do Estado (HGE), a Campanha de Doação de Sangue Natalina ocorre até às 16h da quinta-feira (24). Já na Unidade Farol, localizada no Hospital Veredas, os doadores podem se candidatar à doação de sangue até às 11h da quarta-feira (23). E no interior do Estado, na Unidade Arapiraca, que funciona no Laboratório Municipal, na Rua Desportista Ernesto Alves Siqueira, no bairro Centro, a ação ocorre até às 17h30 da quarta-feira (23).

Conforme a gerente do Hemoal, médica Verônica Guedes, as doações de sangue caíram nos últimos dias e o órgão dispõe, somente, de 30% do estoque necessário para atender a demanda das maternidades e hospitais. Por outro lado, as transfusões aumentaram, principalmente em razão do crescimento da ocupação de leitos exclusivos para a Covid-19. Para se ter ideia, nesta sexta-feira (18), dos 100 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) situados em Maceió, 61% estavam ocupados.

“Infelizmente as pessoas não estão seguindo as recomendações dos infectologistas. Com isso, além de saírem de casa sem necessidade, se aglomeram, deixam de usar máscara, resultando no aumento de casos de Covid-19, no crescimento da ocupação de leitos e, consequentemente, na necessidade de sangue para alguns pacientes. Sem falar, das vítimas do trânsito, porque, com mais pessoas nas ruas e rodovias, mais acidentes ocorrem e lotam as urgências e emergências, como o HGE, em Maceió, e o Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca”, salientou Verônica Guedes.




Botão Voltar ao topo