Deputados questionam secretários e elogiam atuação do Estado durante a pandemia

Durante a audiência pública realizada pela Comissão de Fiscalização e Controle (CFC), nesta quinta-feira, 10, para prestação de contas das ações do Governo no combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os deputados tiveram oportunidade de questionar os secretários Alexandre Ayres (da Secretaria da Saúde) e Fabrício Marques (da Secretaria de Planejamento) sobre o trabalho realizado durante os seis meses de enfrentamento à doença, que já atingiu mais de 81 mil pessoas no Estado e tirou a vida de mais 1.940 alagoanos. Além dos questionamentos, os parlamentares também parabenizaram a atuação dos gestores durante o período.

O deputado Silvio Camelo (PV), que foi o autor do requerimento de convite aos gestores e conduziu os trabalhos da plenária, agradeceu a presença dos secretários e o empenho dos mesmos na condução das ações de combate à pandemia. “Infelizmente, o mundo não estava preparado para o enfrentamento desta catástrofe. Só podemos creditar a Deus a iniciativa do Estado de construir esses hospitais. Isso foi uma ideia divina, porque salvou centenas de vidas”, avaliou Camelo. “Não tivemos falta de atendimento à população, nem de remédios ou de equipamentos. Não tivemos falta de profissionais de saúde. O Governo do Estado está de parabéns por enfrentar a mais grave pandemia dos últimos 100 anos!”, completou Camelo.

O deputado Cabo Bebeto (PTC) relatou suas visitas aos hospitais de Campanha e Metropolitano, com o intuito de fiscalizar a infraestrutura dos mesmos, no entanto, não teve permissão para entrar em todas as áreas de um deles. “Fiz a visita acompanhado do secretário Alexandre Ayres, mas infelizmente não tive acesso a toda estrutura do Hospital de Campanha para conhecer os leitos, mas consegui conhecer boa parte daquele serviço e vi toda a estrutura que o Estado montou”, contou o parlamentar, destacando a importância do equipamento para os alagoanos.

Outro que participou da audiência foi o deputado Galba Novaes (MDB). Ele aproveitou o momento para testemunhar os avanços das ações do Governo no combate á pandemia. “Nós temos hoje a unidade de saúde mais moderna do Estado implantada no bairro do Tabuleiro do Martins: a UPA. É um avanço grande. São essas políticas públicas que o Governo tem proporcionado a quem mais precisa”, declarou o parlamentar, citando ainda como exemplo o Hospital Metropolitano, também sediado na parte alta da cidade.

O presidente da Comissão de Saúde da Casa, deputado Léo Loureiro (PP), destacou a forma organizada como a Sesau vem atuando durante a crise. “O segmento da Saúde conseguiu juntar as peças para que Alagoas pudesse fazer um trabalho organizado e sistemático dentro de uma pandemia”, ressaltou Loureiro, destacando o empenho da equipe da Saúde do Estado.

Na sequência, o deputado Marcelo Beltrão (MDB) também elogiou o desempenho da Secretaria de Saúde. Ele lembrou que todas as medidas de prevenção e protocolos foram delegadas aos técnicos da pasta. “O coronavírus é ainda completamente desconhecido. O mundo todo trabalha na descoberta de uma vacina. E nós estamos atravessando essa grande dificuldade em Alagoas, perdendo vidas de pessoas próximas, mas, acima de tudo, me senti protegido pelas atitudes tomadas pelo Governo”, disse Beltrão, lembrando que o decreto de emergência de isolamento social, apesar de aparentemente duro, teria sido a decisão correta.

Questionamentos
Os questionamentos ficaram a cargo do deputado Davi Maia (DEM). Este, mesmo reconhecendo a boa condução dos trabalhos realizados pela Sesau e Seplag, criticou algumas atitudes do governador Renan Filho e cobrou dos secretários Alexandre Ayres e Fabrício Marques, entre outras questões, os valores repassados pelo Governo Federal, o quanto foi gasto e o quanto ainda resta em caixa dos recursos exclusivos para o combate ao coronavírus; quais os motivos que levaram o Governo a não comprar respiradores; e também sobre o montante de R$ 5, 3 milhões repassados ao Consórcio Nordeste para a aquisição de respiradores e que ainda não foram devolvidos pela entidade, além de questões relacionadas a denúncias de nepotismo no Laboratório Central de Alagoas (Lacen).

Os deputados Yvan Beltrão (PSD), Inácio Loiola (PDT), Dudu Ronalsa (PSDB), Francisco Tenório (PMN), Breno Albuquerque (PRTB), e as deputadas Jó Pereira (MDB), Flávia Cavalcante (PRTB) e Ângela Garrote (PP) também estiveram presentes na audiência pública, que contou com a presença do secretário Executivo de Saúde, Marcos Ramalho; do responsável pelo curso de Medicina do Cesmac, Estácio Valente; do ex-vereador Pedro Alves e do assessor assistente, Estácio Filho.




Botão Voltar ao topo