Depois de muito barulho e manobra política, vice tomará posse em Maribondo

A novela que vem tomando conta da administração pública de Maribondo, ganha um capítulo muito especial nesta quarta-feira, dia 19. É que por determinação da juíza Juliana Batistela Guimarães, a Câmara de Vereadores terá que promover um sessão-extraordinária, a fim de dá posse ao vice-prefeito, Serginho Marques (PRTB). A medida faz parte de uma ação movida pelo próprio vice, que cobra seus direitos; sobretudo para assumir a vaga do titular, Leopoldo Pedrosa PRP), preso em Maceió no dia 28 do mês passado, por ter violentado a esposa, Emanuela, conforme boletim de ocorrência.

Por conta disso, foi que o presidente da Câmara, Fernando de Melo Ramos baixou portaria convocando todos os vereadores da Casa, a fim de analisar o pleito aduzido pelo vice-prefeito Serginho Marques, datado do dia 13 de julho, ofício de nº 23/2017, na 43ª Zona Eleitoral, junto a juíza Juliana Batistela Guimarães. Mas antes dessa pauta, os vereadores vão analisar também, um pedido de licença por um período de dois meses, solicitado pelo prefeito afastado, Leopoldo; cujo ofício chegou às mãos do presidente Fernando Ramos, na terça-feira da semana passada, dia 11; o que deixa cheirar, que seja uma estratégia de bastidores para salvar a cassação do mandatário, já que o mesmo extrapolou o prazo de 15 dias sem comparecer na Prefeitura, devido sua prisão até hoje.

“Já está tudo certo, vamos se reunir, a fim de dá posse ao vice nesta quarta-feira pela manhã” disse um vereador a nossa reportagem, que pediu para não revelar seu nome. Já o vice-prefeito Serginho Marques, que desde o começo do ano rompeu politicamente com seu companheiro de chapa (Leopoldo) afirma que não tem pretensão de prejudicar ninguém, cuja meta é tocar o barco pra frente, visto que o município de Maribondo, segundo ele, precisa muito de se recuperar do estrago provocado por gestores passados, que só pensaram em tirar proveito para si mesmo.

Por conta da prisão de Leopoldo, é que ao longo desses últimos 21 dias, diversos manifestos tomaram conta de Maribondo. Manifestações com faixas e cartazes, erguidas por alguns servidores do município, amigos e familiares, onde foram às ruas, clamar pela liberdade de Leopoldo Pedrosa, o prefeito que segundo eles, organizou a administração pública, sobretudo na pontualidade do pagamento e obras executadas por toda parte; isso em apenas seis meses de trabalho. Chegaram até bloquear em duas oportunidades, a BR 316, que corta a cidade, causando um inferno sem igual.

Edmilson Teixeira – 18/07/2017

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *