Comissão entrega prêmio a personalidades que se destacam na área de ciência e tecnologia

Rafapress/Depositphotos
Saúde - Coronavirus - vacina - coronavac- pandemia - instituto butantan - pessoa segura seringa com placa do butantan ao fundo
Produção de vacina contra Covid-19 pelo Instituto Butantan será destacada pelos deputados

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados realiza nesta quarta-feira (8) a solenidade de entrega do Prêmio César Lattes. A condecoração homenageia personalidades e entidades que se destacaram na defesa e na promoção da ciência, da tecnologia e das inovações. Receberão o prêmio:

  • Dimas Tadeu Covas, presidente do Instituto Butantan;
  • Instituto de Pesquisa Inteligência Esportiva (Ipie) – representante: professor Fernando Marinho Mezzadri;
  • Marco Antônio Raupp (in memorian), ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações – representante: Elizabeth Alves Mendonça;
  • Pedro Rodrigues Curi Hallal, epidemiologista, ex-reitor da Universidade Federal de Pelotas;
  • Universidade de Brasília – representante: reitora Márcia Abrahão.

O Prêmio César Lattes foi criado em 2021 pela Comissão de Ciência e Tecnologia. Os integrantes do colegiado indicam possíveis agraciados. A seleção final dos vencedores é feita por uma comissão julgadora formada por representantes de todos os partidos da Câmara.

A solenidade ocorrerá no plenário 10, às 9 horas.

César Lattes
César Lattes (1924-2005) foi um importante cientista brasileiro, nascido em Curitiba (PR), filho de imigrantes italianos. Descobriu junto com outros pesquisadores (o italiano Giuseppe Occhialini e o britânico Cecil Frank Powell) a partícula que mantém o núcleo atômico coeso: o “méson pi” (ou píon).

Embora Lattes fosse o primeiro autor do artigo que descreve o “méson pi”, apenas Cecil Powell foi agraciado com o Prêmio Nobel de Física, em 1950. A razão para essa aparente negligência é que a política do Comitê do Nobel, até 1960, era conceder o prêmio apenas ao líder do grupo de pesquisa – Powell, no caso. Entre 1949 e 1954, Lattes foi indicado sete vezes ao Nobel de Física.

Em 1999,  o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) homenageou o cientista brasileiro ao batizar o sistema utilizado para cadastrar cientistas, pesquisadores e estudantes. A Plataforma Lattes é uma base de dados de currículos e instituições de todas as áreas do conhecimento. O Currículo Lattes registra a vida profissional dos pesquisadores, sendo elemento indispensável para a análise de mérito e competência dos pleitos apresentados a quase todas as agências de fomento no Brasil.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo