Comissão debate acesso de pessoas com deficiência às bibliotecas

Divulgação/Biblioteca Pública do Paraná
Educação - livros - bibliotecas braille deficientes visuais cegos acessibilidade (seção de livros em braille na Biblioteca Pública do Paraná, Curitiba-PR)
Audiência vai discutir como facilitar o acesso de pessoas com deficiência às bibliotecas

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos deputados realiza audiência pública nesta terça-feira (7) para debater as políticas públicas para tornar acessíveis as bibliotecas do País.

A audiência será realizada às 14 horas, no plenário 12, e poderá ser acompanhada de forma interativa pelo e-Democracia.

A deputada Rejane Dias (PT-PI), que pediu a audiência, disse que, segundo dados levantados em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelo menos 45 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência, quase 25% da população do País.

“De fato, a biblioteca, com natural potencialidade de transformar indivíduos em cidadãos críticos, deve garantir a todas as pessoas acesso irrestrito aos seus produtos, serviços e instalações, independentemente de seus meios e formatos. Entre aqueles que têm o direito de se valer da biblioteca constam as pessoas com deficiência”, disse a deputada.

Debatedores
Confirmaram presença no debate:
– o secretário nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Cláudio de Castro Panoeiro;
– o presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia e professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda;
– a professora da UniRio e membro do Conselho Estadual de Engenharia e Agronomia e da Associação Engenheiros Sem Fronteiras, Cládice Nóbile Diniz;
– a professora Dinorá Couto, fundadora da Biblioteca Dorina Nowill, de Taguatinga (DF); e
– o secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência do Piauí, Mauro Eduardo Cardoso e Silva.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo