Cabo Bebeto critica manifestações com fechamento de vias e cobra valorização dos policiais penais

O deputado Cabo Bebeto (PTC) usou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 2, para questionar as manifestações que estão fechando as ruas da capital alagoana nos últimos dias. “Precisamos preservar o direito de ir e vir. Os protestos vêm causando um grande transtorno para a cidade”, afirmou o parlamentar. Cabo Bebeto lembrou da sua participação em alguns protestos e reforçou que não concorda com o fechamento total de vias públicas. “Respeito o direito de reivindicar, mas não concordo com fechamento de ruas. Pode-se chamar a atenção sem ter que usar este artifício, isso não traz o apoio da sociedade”, destacou.

Cabo Bebeto citou o protesto dos ex-funcionários da Empresa Veleiro, que fecharam parte da avenida Fernandes Lima, em Maceió, na busca de direitos trabalhistas. “Fica aqui a reflexão, para que as pessoas evitem a radicalização”, sugeriu o deputado.

Policiais Penais
Outro ato destacado por Cabo Bebeto foi realizado por familiares de reeducandos, que cobram a liberação da entrega de alimentos. O deputado afirmou que estes protestos acontecem porque o Estado não oferece uma alimentação adequada. “O governador fez um vídeo apoiando a causa e culpando os policiais penais pelas manifestações. Por conta da pandemia, os policiais penais tiveram que suspender este serviço. Mesmo o governador autorizando a retomada da entrada dos alimentos, os agentes penais não concordaram, alegando risco sanitário e de segurança”, informou.

Por fim, o deputado defendeu a realização de concurso público para polícia penal. “Temos casa de custódia fechada, presídios superlotados e um baixo efetivo policial. O governador, que se diz solidário às familiares dos presos, joga toda a culpa destas manifestações sobre a categoria. Eu falo isso porque vou aos presídios e conheço, de perto, a realidade. São 800 presos para seis ou sete policiais penais tomarem conta. Os policiais penais estão abandonados pelo Governo”, concluiu.

O pronunciamento recebeu o apoio do deputado Davi Maia (DEM). “O governador joga para a platéia. Não fez nada pelos policiais penais, que estão arriscando suas vidas com um baixo efetivo”, afirmou. O pronunciamento também teve a concordância do deputado Tarcizo Freire (PP). “Precisamos apoiar também os policiais militares, que são fundamentais para redução da violência”, disse.




Botão Voltar ao topo