Bombeiros confirmam três mortes em desabamento de prédio

O Corpo de Bombeiros do Ceará confirmou a morte de três pessoas no desabamento do edifício Andréa, no Dionísio Torres, bairro nobre de Fortaleza. A primeira vítima foi um vendedor de água de um mercado vizinho ao prédio residencial de sete andares, que caiu na manhã desta terça-feira, 15. A queda do prédio deixou ainda nove feridos e oito desaparecidos. A segunda vítima, uma mulher não identificada, foi confirmada na manhã desta quarta-feira. Já a terceira, também do sexo feminino, teve o corpo retirado dos escombros já no período da tarde. Sete pessoas ainda estão desaparecidas, segundo as autoridades.

Na manhã de terça, o Corpo de Bombeiros chegou a informar uma morte na tragédia, mas à noite o governo do Ceará voltou atrás e afirmou que ainda não havia a confirmação de óbitos. Após o desencontro de informações, no entanto, o comandante geral da corporação, o coronel Eduardo Holanda, confirmou, em entrevista coletiva, que haviam encontrado o primeiro corpo.

Segundo Holanda, um homem de 30 anos estaria trabalhando em um mercadinho ao lado e acabou atingido pelo desmoronamento. “Oficialmente, esta é a primeira vítima fatal. Até agora, nós conseguimos retirar nove pessoas dos escombros, todas elas com vida”, disse.

O edifício Andréa se localizava na esquina das Ruas Tibúrcio Cavalcante e Tomás Acioli. O prédio caiu por volta de 10h15 e deixou ao menos nove pessoas feridas e outras nove sob os escombros.

Segundo os bombeiros, 130 homens da corporação se revezam nas buscas, além do apoio de voluntários. As equipes contam com a ajuda de um drone, com sensor térmico, e cães farejadores, no trabalho de localização de pessoas com vida. O drone sobrevoa os escombros para identificar áreas de calor, que mostram possíveis vítimas.

Das vítimas já resgatadas, duas teriam conseguido telefonar para parentes antes mesmo de ser resgatadas. Três feridos foram encaminhados para o Instituto Doutor José Frota (IJF): Cleide Maria da Cruz Carvalho, de 60 anos; Maria Antônia Peixoto, de 72 anos; e Gilson Moreira Gomes, de 53 anos.

17/10/2019