Bolsa Família: beneficiários podem pedir empréstimo de até R$ 15 mil


Lançado em 2017, o programa de microcrédito Progredir – voltado para beneficiários do programa Bolsa Família que desejam empreender  – ainda é pouco conhecido pela população. O programa foi criado, segundo o governo, para ajudar as famílias a aumentar a renda.

Além dos empréstimos, com taxas atrativas, bem abaixo das usuais do mercado – para facilitar a adesão, o Progredir oferta assistência técnica, cursos profissionalizantes, ações de inclusão digital e educação financeira.

Segundo o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), hoje chamado de Ministério da Cidadania (MC), por enquanto, apenas os três bancos participam do programa, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e o Banco do Nordeste. Eles podem oferecer empréstimos de até R$ 15 mil para participantes do programa.

O interessado em participar do empréstimo Bolsa Família e que quer solicitar o microcrédito Progredir deve fazer parte dos relacionados na lista do MEI (Microempreendedor Individual). Vale ressaltar que esse é um crédito voltado para empreendedores.

O requisito obrigatório para solicitar o empréstimo Bolsa Família é estar inscrito no Cadúnico, o Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal e que é base para praticamente todos os programas populares existentes aqui – além de ser um MEI.

Entenda o microcrédito

De acordo com Alberto Beltrame, o microcrédito terá valor médio de R$ 3 mil.

O ministro disse, ainda, que 65% das pessoas que optaram pelo financiamento ganham menos de R$ 170 per capita.

Entre os bancos que operam o microcrédito, segundo o ministro, estão o Banco do Nordeste, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o Santander.

Cadastro Único – CadÚnico

Como fazer para se inscrever no Cadastro Único:

O município promove visitas domiciliares às famílias de baixa renda periodicamente para efetuar o cadastramento. Mas a família que se enquadra nas rendas acima e ainda não está inscrita no Cadastro Único, pode procurar um CRAS – Centro de Referência em Assistência Social no município e solicitar o cadastramento.

Para que a família possa ser cadastrada, é importante:

Ter uma pessoa responsável pela família para responder às perguntas do cadastro. Essa pessoa deve fazer parte da família, morar na mesma casa e ter pelo menos 16 anos.

Para o responsável pela família, de preferência uma mulher, é necessário o CPF ou Título de Eleitor.

Exceção: no caso de responsável por famílias indígenas e quilombolas, pode ser apresentado qualquer um dos documentos abaixo. Não precisa ser o CPF ou o Título de Eleitor.

Apresentar pelo menos um documento de todas as pessoas da família:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade (RG);
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI);
  • Carteira de Trabalho; ou
  • Título de Eleitor.

Levar um comprovante de endereço, que pode ser conta de água ou luz. Não é obrigatório apresentar, mas ajuda no preenchimento do endereço.

Vale lembrar que, após o cadastramento da família, é importante manter os dados sempre atualizados.

O que é o Bolsa Família

O Bolsa Família é um programa que transfere renda para as famílias de baixa renda, em situação de pobreza ou extrema pobreza para que superem a situação de vulnerabilidade. Dessa forma, o empréstimo Bolsa Família é ideal para quem quer mudar de vida.

Ao todo são mais de 13 milhões de famílias atendidas pelo programa, sendo que uma boa parte ainda conta com a Poupança Caixa Fácil, que é uma modalidade com mais facilidade para o seu dia a dia e pode ser somada ao empréstimo Bolsa Família.